nsc

publicidade

Reconhecimento

Corpo de Bombeiros é a instituição mais confiável para os blumenauenses

Corporação alcançou 92 pontos na Pesquisa Focus, da Furb

06/07/2019 - 16h56

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie

A criança engasga com o alimento. O adolescente se afoga no banho de rio. Os passageiros ficam presos às ferragens após o acidente. As chamas tomam conta da casa. Para quem você pede ajuda em qualquer uma dessas situações? A resposta que vem à cabeça para a maioria dos blumenauenses é: Corpo de Bombeiros.

Quando a vida está em perigo, é quase automático discar 193. A garantia de socorro ao alcance de uma ligação naqueles que podem ser os momentos mais difíceis da vida de uma pessoa fortalece a relação da instituição com a comunidade. Aliás, no último dia 2, foi celebrado o Dia dos Bombeiros.

Para o comandante do terceiro batalhão, Luciano Mombelli da Luz, esse é um dos motivos para a corporação ser considerada a mais confiável pelos blumenauenses. A percepção é fruto da pesquisa Focus, da Furb. Entre maio e junho deste ano, alunos de quatro cursos da universidade entrevistaram 400 pessoas que moram na cidade.

Eles perguntaram "o quanto você confia em cada uma dessas instituições brasileiras?". Ao todo, foram avaliadas 20 instituições. Em uma escala de 0 (nenhuma confiança) a 100 (muita confiança), o Corpo de Bombeiros alcançou a maior marca: 92 pontos. O índice de confiança nos socorristas em Blumenau é, inclusive, maior do que o registrado no país, 82 pontos, conforme a Pesquisa Ibope de 2018.

Temos uma tropa muito disciplinada e aguerrida em Blumenau. Então, se nossa avaliação é boa, o mérito é todo daquele bombeiro que está lá na ponta, 24 horas por dia prestando serviço à comunidade – defende Mombelli.

O sociólogo e coordenador do curso de Ciências Sociais da Furb, Maiko Spiess, acredita que a reputação do Corpo de Bombeiros reflete dois aspectos. O primeiro deles está atrelado ao perigo presente no trabalho da corporação. Isso porque em alguns casos a vida dos próprios socorristas é colocada em risco no momento do atendimento. Outro fator é o histórico de Blumenau com desastres naturais, em que a atuação dos bombeiros é fundamental no auxílio à população e, consequentemente, reforça o sentimento de gratidão à corporação.

Em tempo de crise na imagem das instituições, Spiess destaca o fato de o Corpo de Bombeiros dificilmente estar envolvido em escândalos de desvio de conduta, comuns no Brasil nos últimos anos. Nesse contexto, a corporação desponta como exemplo de atuação institucional íntegra.

Para quem está na linha de frente no auxílio à comunidade, o reconhecimento serve de combustível para enfrentar o próximo plantão. Assim como há os dias de tranquilidade, existem também os desafiadores. Não é só uma questão de preparo técnico e físico para casos em que o resgate leva horas. Dentro da farda estão pais, filhos, irmãos. Impossível não se sensibilizar com o que se vê nas ruas. Às vezes, a alegria do salvamento, em outras a tristeza de uma morte.

Na hora que as pessoas mais precisam, ali tem uma mão amiga que elas podem contar, a do bombeiro. Quantas vezes uma família envolvida na ocorrência vem e dá um abraço emocionado, agradecendo. Isso marca muito a vida de quem está na rua – conta o chefe de socorro Osmar Iakushi.
Bombeiros atendem menino de três anos que caiu e cortou a cabeça na última quarta-feira, dia 3
Bombeiros atendem menino de três anos que caiu e cortou a cabeça na última quarta-feira, dia 3
(Foto: )

O desejo é sempre de melhorar

Quem precisa de atendimento dos bombeiros dificilmente fica sem resposta. Eles se revezam e montam equipes para cobrir as 24 horas do dia, de segunda-feira a domingo. Entretanto, isso não acaba com a necessidade urgente de aumentar o efetivo. O comandante do 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros Militares reconhece isso:

– A composição ideal de um caminhão, por exemplo, é com cinco bombeiros, mas hoje não conseguimos manter. Temos um autotanque, que é um carro de reforço para incêndios de maior vulto, que às vezes lançamos mão de bombeiros do expediente para cobrir essa escala. Então, a parte que mais nos preocupa atualmente é o efetivo – diz Mombelli.

Enquanto a chegada de novos profissionais não ocorre por parte do governo do Estado, a corporação deposita a esperança em uma legislação que permite o pagamento do bombeiro comunitário. Quando isso ocorrer, cada quartel deve ganhar o reforço diário de duas pessoas, o que não deve solucionar, mas pelo menos ajuda a amenizar a situação.

A questão do efetivo não é a única a ser superada. Segundo o comandante, é preciso alcançar 100% do efetivo capacitado para a atuação em ocorrências de deslizamento e para casos de colapso estrutural, problemas que se tornaram realidade de Blumenau após a tragédia de 2008.

Para a logística diária do batalhão, estamos 100%, mas para questões extraordinárias, precisamos melhorar – reconhece Mombelli.
Comandante diz que ainda há no que avançar
Comandante diz que ainda há no que avançar
(Foto: )

Bombeiros já receberam mais de 31 mil chamadas

Dados do Corpo de Bombeiros de Blumenau apontam que 31.254 chamadas foram atendidas entre 1º de janeiro e 3 de julho deste ano. Dessas, 7.121 geraram ocorrências. Outras 11.740 eram de pedidos externos da comunidade, como o número de telefone das policias (Civil e Militar), Celesc e Guarda Municipal de Trânsito. Das ligações atendidas, 1.688 eram trotes e 1.750 chamadas não foram atendidas por chegarem e as linhas estarem ocupadas.

O tenente Diego Medeiros Franz avalia os números em duas perspectivas. A primeira delas é que se os trotes não ocorressem, poucas ou quase nenhuma chamada deixaria de ser atendida. É que muitas vezes enquanto os bombeiros estão em linha com casos que não são reais, alguém que realmente precisa de atendimento e tenta contato, mas não consegue. Outra situação que chama a atenção é a quantidade de ligações sem relação com o serviço de emergência, por isso a necessidade de entender quando acionar o 193. Casos que os bombeiros atendem:

- Incêndio

- Acidente com trauma (acidente de trânsito, agressão, ferimento por armas, queda, queimadura)

- Choque elétrico

- Engasgamento

- Pessoa inconsciente

- Pessoa perdida na mata

- Salvamento aquático

- Desabamento e deslizamento

- Enchente, inundação e enxurrada

- Captura de animal agressivo/silvestre que oferece perigo iminente

- Acidente com produtos perigosos

- Vazamento de gás

- Resgate em altura e espaço confinado

- Casos de suicídio

Ocorrência na última quinta-feira, dia 4
Ocorrência na última quinta-feira, dia 4
(Foto: )

"É uma missão para uma vida inteira"

O telefone toca, a ocorrência é aberta, guarnições são deslocadas, bombeiros prestam atendimento. Tudo é tão sistemático que parece ocorrer de forma involuntária. A verdade, porém, é que existe uma figura dentro da corporação responsável por fazer toda a engrenagem funcionar com perfeição. A cada 24 horas, um chefe de socorro comanda as equipes de trabalho no 3º Batalhão do Corpo de Bombeiros de Blumenau. Airton Cesar Schmits, 51 anos, é um deles, e divide a missão com os colegas Rafael Pereira Martins e Osmar Iakusch. Segundo sargento, com 26 anos dedicados ao Corpo de Bombeiros, ele conversou com o Santa sobre a pessoa por baixo da farda e falou sobre como escolheu a profissão e os desafios do dia a dia na função.

Corpo de Bombeiros de Blumenau

A história de um chefe de socorro

Deixe seu comentário:

publicidade