publicidade

Esportes
Navegue por

Em Campinas

Criciúma perde da Ponte Preta e tem série invicta encerrada na Série B

Tigre leva 3 a 1, em Campinas (SP), mas não corre risco de retornar ao Z-4 no fim da 21ª rodada

14/08/2018 - 20h22

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Os cinco jogos de invencibilidade do Criciúma na Série B do Brasileiro já não existem mais. Na noite desta terça-feira, o Tigre foi derrotado pela Ponte Preta, por 3 a 1, em confronto no Estádio Moisés Lucarelli, em Campinas (SP), pela 21ª rodada. Lucas Mineiro, João Vitor e Bruno Ramires marcaram os gols da Macaca. Alex Maranhão, em falta certeira, diminuiu.

O Criciúma volta a perder após ficar um mês invicto. O último revés tinha sido o 2 a 1 para o Goiás, pela 15ª rodada, no dia 13 de julho. Mesmo com o resultado negativo, o Tigre não corre risco de entrar na zona de rebaixamento ao término da rodada e soma 21 pontos. A chega aos 32 pontos e entra no G-4, tirando a vaga do Atlético-GO, que ainda vai jogar.

Os times voltam a campo na próxima terça-feira, às 19h15min, pela 22ª rodada. O Criciúma recebe o Coritiba no Heriberto Hülse, enquanto a Macaca visita o Londrina.

Golaço em falta, mas Macaca faz dois

Mesmo com os desfalques do goleiro Luiz, do lateral-esquerdo Marlon e do atacante Zé Carlos, o Tigre chegou primeiro ao gol da Macaca. Logo aos dois minutos, Marlon Freitas bateu cruzado pelo lado direito. A bola saiu ao lado da meta. Mas a Ponte mostrou eficiência na oportunidade criada. Aos nove, Lucas Mineiro cabeceou no meio da zaga catarinense e acertou o canto direito de Belliato, que sequer esboçou qualquer tipo de reação: 1 a 0.

A festa alvinegra durou pouco tempo. Alex Maranhão, que vestiu a camisa número 100 em alusão a quantia de jogos alcançada pelo Tigre nesta noite, deixou tudo igual. Aos 13, o meia cobrou falta da intermediária, bateu forte e, de forma precisa, mandou no ângulo esquerdo de Ivan. A exemplo do companheiro de posição, o arqueiro da Macaca não reagiu. A equipe da casa pressionou, mas o Criciúma recuou para em seguida explorar os contra-ataques.

Antes do intervalo, porém, a pressão da Macaca quebrou a defensiva do Tigre. A Ponte Preta voltou a ficar na frente com gol do volante João Vitor, ex-Criciúma, aos 33. Após lançamento de Lucas Mineiro para Hyuri, o atacante dominou no peito e deu para o companheiro bater de primeira da entrada da área. A bola foi no canto esquerdo. O Carvoeiro contou com a sorte para não sofrer o terceiro gol. O zagueiro Reginaldo testou firme, e a redonda saiu ao lado.

Pressão do time da casa

No segundo tempo, os times mantiveram as formações do início do jogo. Igual também foi a postura de ambos em campo. A Ponte permaneceu mais aguda e buscando o gol. O Tigre não se expôs, ficou na defensiva e esperando a chance para sair ao ataque na base da velocidade. A Macaca quase ampliou aos oito minutos. Hyuri soltou a pancada em rebote na entrada da área, mas Liel, em frente à meta, meteu a cabeça na bola e evitou o terceiro tento alvinegro.

Sem conseguir criar na busca do gol de empate, Mazola Júnior tirou Joanderson e apostou no jovem Julimar, revelação da base do Tigre. Mas foi Hyuri que teve outra chance para ampliar. Aos 20, o atacante ficou com a sobra dentro da área e bateu de esquerda. A bola foi por cima. Três minutos depois, o Criciúma quase fez gol contra com Nino, que afastou o cruzamento de Orinho pela linha de fundo e assustou Belliato. A redonda passou muito perto da meta.

O Tigre arriscou de fora da área com Eduardo, aos 27, mas a bola foi por cima do gol de Ivan. Depois disso, a Macaca pressionou até chegar ao terceiro. Antes de balançar a rede, porém, Hyuri perdeu uma oportunidade clara. Aos 30, o atacante ficou livre, na pequena área, mas isolou pelo alto mesmo com Belliato caído. Dois minutos depois, em contra-ataque puxado por André Luís, ele serviu Bruno Ramires para fechar o placar em Campinas.

FICHA TÉCNICA - Ponte Preta 3 x 1 Criciúma

PONTE PRETA

Ivan; Igor Vinicius, Renan Fonseca, Reginaldo e Nicolas; Nathan; André Luís, João Vitor (Paulinho), Lucas Mineiro (Bruno Ramires) e Hyuri; Victor Rangel (Orinho). Técnico: João Brigatti.

CRICIÚMA

Beliato; Eduardo (Kalil), Liel, Nino e Christian; Marlon Freitas, Jean Mangabeira e Ronaldo; Alex Maranhão; Joanderson (Julimar) e Vitor Feijão. Técnico: Mazola Júnior.

GOLS: Lucas Mineiro (P), aos nove, e Alex Maranhão (C), aos 13, João Vitor (P), aos 33 minutos do primeiro tempo. Bruno Ramires (P), aos 32 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS: Nicolas (P). Marlon Freitas e Eduardo (C).

BORDERÔ: 3.249 pagantes (220 não pagantes) para uma renda de R$ 56.740,00.

ARBITRAGEM: Ronei Candido Alves, auxiliado por Felipe Alan Costa de Oliveira e Magno Arantes Lira (trio de MG).

LOCAL: Moisés Lucarelli, em Campinas (SP).

Veja a tabela da Série B do Brasileiro

Mais notícias do Criciúma

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação