nsc

publicidade

Segurança

Criminosos de Joinville zombam da segurança pública ao matar adolescente

Com ousadia e brutalidade, criminosos arrancaram a cabeça de adolescente e filmaram ação

04/02/2016 - 05h04

Compartilhe

Por Redação NSC
Faixas de segurança ainda compõem o cenário na rua Titan, no Jardim Paraíso, onde foi encontrada a cabela de um adolescente
Faixas de segurança ainda compõem o cenário na rua Titan, no Jardim Paraíso, onde foi encontrada a cabela de um adolescente
(Foto: )

Um vídeo que começou a circular na noite de terça-feira, logo depois que a cabeça de um adolescente foi encontrada dentro de uma mochila no bairro Jardim Paraíso, na zona Norte, mostra a que ponto chegou a ousadia dos criminosos em Joinville. Nas imagens, quatro jovens com os rostos cobertos com camisetas se divertem enquanto arrancam a cabeça de um adolescente a machadadas.

O vídeo é tão brutal que seria impossível publicá-lo ou descrevê-lo em detalhes. Quem assistiu, entendeu que cada um dos 28 golpes no corpo da vítima também é desferido contra a ordem social e a segurança pública na cidade.

Cúpula da Segurança volta a fazer promessas de redução da criminalidade para Joinville

Toda a ação foi gravada ao som do funk Tropa do Moço 2, do MC Vitinho JK. Nas cenas, os criminosos usam luvas cirúrgicas e concluem a decapitação com um facão. Também é possível ver que os pés da vítima estão amarrados com um lençol e mergulhados no mangue. O vídeo é encerrado com a comemoração do grupo.

A cabeça foi colocada em uma mochila praticamente nova e deixada na esquina da Estrada Timbé com a rua Titan, na entrada do bairro. Um homem que mora na rua encontrou a cabeça ao voltar da casa de um amigo. Por curiosidade, resolveu olhar o que havia na mochila abandonada no gramado debaixo de uma árvore.

Apavorado com o que viu, largou tudo e saiu correndo até o posto da Polícia Militar, que fica a 500 metros do local onde a mochila foi deixada.

Até o fechamento desta edição, o corpo ainda não havia sido encontrado. A Polícia Militar fez rondas nos bairros Jardim Paraíso, Aventureiro e Cubatão, região de mangue em que os moradores indicaram como sendo o local onde o corpo foi decapitado. A suspeita é de que o crime tenha sido cometido entre a região onde estão instaladas pelo menos dez marinas e a praia da Vigorelli.

Investigação

Um tio da vítima foi ao Instituto Médico Legal (IML) e identificou a cabeça como sendo do adolescente Israel Melo Júnior, de 16 anos, conhecido na zona Norte como Juninho Nezo. Entre a noite de terça e a madrugada de quarta-feira, circularam fotos de um rapaz que foram copiadas de um perfil no Facebook como sendo do jovem assassinado.

"É indignante, uma afronta", diz secretário de Segurança sobre vídeo de decapitação gravado em Joinville

Antes de ser morto, Juninho gravou outro vídeo com dois amigos. De boné cobrindo os olhos e segurando uma garrafa de bebida, o adolescente faz provocações a um suposto grupo rival. Não é possível identificar o dia em que a gravação foi feita, mas o recado é claro:

- Polícia, a nossa meta é matar! - diz um dos integrantes.

A Polícia Civil acredita que o crime seja uma resposta a outras mortes e ataques ocorridos desde o ano passado na região e não descarta a possibilidade de haver retaliações. Entre os moradores, há uma guerra que envolve o controle da venda de drogas, vinganças e até a obediência a ordens que teriam partido de dentro do sistema prisional.

A polícia também investiga se o grupo que matou Juninho estava se vingando da morte de outro rapaz que foi executado na segunda-feira no Cubatão, também na zona Norte da cidade.Um adolescente de 15 anos foi executado com mais de 15 tiros. Os policiais não descartam a possibilidade de haver uma guerra entre facções criminosas.

Para autoridades, vídeo de jovem decapitado demonstra nível preocupante de criminalidade em Joinville

Deixe seu comentário:

publicidade