nsc
    nsc

    Enfermagem

    Cuidado próximo em tempos de distanciamento: como trabalham os enfermeiros durante a pandemia 

    Profissionais atuam do ambulatório à UTI e são responsáveis pelos procedimentos que garantem a segurança dos pacientes em meio à transmissão do coronavírus 

    20/05/2020 - 14h35 - Atualizada em: 20/05/2020 - 14h36

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Cuidado próximo em tempos de distanciamento: como trabalham os enfermeiros durante a pandemia
    (Foto: )

    Enquanto a população debate medidas de distanciamento e isolamento social, os profissionais que estão na linha de frente do combate à Covid-19 buscam maneiras de minimizar os impactos da doença e salvar vidas. Entre eles, são os enfermeiros que se deparam primeiro com a ameaça do novo coronavírus. Eles também são os responsáveis por garantir a segurança de toda a cadeia de atendimento do sistema de saúde.

    — Os profissionais de Enfermagem são os que estão 24 horas por dia e sete dias da semana no cuidado com os pacientes. Neste tempo de pandemia, somos nós que precisamos esquecer qualquer distanciamento, pois não atendemos a um metro e meio de distância. Estamos juntos do paciente, monitorando sinais vitais, aplicando medicamentos, verificando o uso de equipamentos, entre tantas outras atividades. Em especial, os enfermeiros e enfermeiras são os que organizam as equipes, supervisionam as atividades, realizam consulta e prescrevem procedimentos de Enfermagem — afirma Helga Regina Bresciani, presidente do Conselho Regional de Enfermagem de Santa Catarina.

    A pandemia deu visibilidade à atuação, permitindo que as pessoas percebam que a Enfermagem compõe mais de 50% das equipes de saúde. São eles que estão em todos os lugares, seja na emergência, seja no ambulatório, no centro cirúrgico, nas UTIs, cada qual com suas habilidades e especialidades.

    — Tenho certeza que o mundo vai mudar em muitos aspectos e a Enfermagem estará mais visível do que nunca, permitindo melhorar ainda mais o acesso à saúde segura e de qualidade a toda a população, como temos feito com a atenção primária, onde os enfermeiros realizam consultas e por meio dos Protocolos de Enfermagem tem conseguido minimizar as filas, a sobrecarga do Sistema Único de Saúde e o agravamento de doenças. Espero que este reconhecimento faça com que as condições de trabalho melhorem, ou seja, possamos ter um piso salarial que não existe pra categoria, jornada de trabalho condizente com a importância do nosso trabalho e não tão extenuantes — defende Helga.

    Para Simone A. de Souza, Enfermeira e Secretária Executiva do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Santa Catarina (COSEMS/SC), apesar de ter muitos desafios, a Enfermagem é uma das profissões do futuro.

    — Estamos nos tornando cada vez mais especializados e qualificados. Daremos suporte à tecnologia para o cuidado aos pacientes, mas a tecnologia, por si só, não poderá substituir o cuidado direto da Enfermagem. Temos cada vez mais campos de atuação e podemos atuar em, praticamente, qualquer lugar do mundo. A Enfermagem é uma profissão com desafios, mas também com muitas oportunidades, basta querer e relembrar sempre sobre a importância do conhecimento como “carro chefe” para o desenvolvimento profissional. O conhecimento nos dá segurança e com segurança podemos enfrentar qualquer obstáculo — relata a profissional.

    Reconhecimento e valorização

    Para Helga, que acumula 36 anos de atuação como enfermeira, este é um cenário de mudanças na profissão e, para quem vai chegar agora no mercado de trabalho, o cenário será diferente:

    — Sempre digo nas palestras e seminários que a Enfermagem é a protagonista das equipes de saúde e os estudantes precisam saber disso. Os que se formam agora tem a sorte de estar vivenciando o ano de 2020, escolhido pela OMS como o Ano Internacional da Enfermagem. Cada um destes novos profissionais que entrarão no mercado de trabalho já chegarão com um cenário de mudanças, de mais valorização mas assim de mais responsabilidade — opina.

    A Enfermagem está em todos os serviços e áreas da saúde, seja no público, seja no privado. Está presente na assistência, na gestão, na educação e na pesquisa e tem o papel crucial no acolhimento e avaliação inicial do paciente.

    — A Enfermagem tem uma alta capacidade de adaptação a várias realidades e clientelas, pois atua desde a atenção primária (unidades básicas de saúde) até áreas extremamente especializadas como UTI e urgência e emergência. Todo esse contexto destaca a importância dos profissionais de enfermagem para a assistência ao paciente — afirma Simone A. Souza.

    Para registrar esse reconhecimento pelos profissionais da Enfermagem, é comemorado o Dia da Enfermagem em 12 de maio. No mesmo dia, no ano de 1820, na Itália, nascia Florence Nightingale, a mulher de família britânica que criou a base da Enfermagem moderna em todo o mundo.

    Florence alcançou destaque na profissão por colocar em prática princípios de higiene que transformaram a realidade da saúde pública e que são essenciais para a contenção de doenças. Até hoje, precisamos ser lembrados do mantra que há 200 anos a enfermeira repetia aos pacientes que atendia: lave bem as mãos com água e sabão.

    A atuação dessa classe profissional durante a pandemia vem rendendo homenagens de pessoas, empresas, órgãos públicos que compartilham um mesmo sentimento: gratidão. O agradecimento é por se arriscarem para cuidar dos outros. Por se exporem diariamente para garantir que os pacientes vão receber todo o cuidado de que precisam. Por em todos os momentos, colocarem o bem dos outros acima do seu próprio.

    Leia também:

    Laine Valgas bate papo com enfermeiros que dedicam a vida a cuidar dos outros; assista Coronavírus em Santa Catarina: levar vírus para casa é a maior preocupação de enfermeiros

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas