nsc
dc

publicidade

ENGIE apresenta

Descarbonização: o que sua empresa pode fazer para minimizar as emissões de gases poluentes

Seja na compra de energia gerada por fontes renováveis, seja na aquisição de certificados que podem fazer a compensação, há opções para todas as organizações

27/12/2019 - 08h59 - Atualizada em: 09/01/2020 - 15h28

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
Descarbonização: o que sua empresa pode fazer para minimizar as emissões de gases poluentes
(Foto: )

A palavra é estranha mesmo: “descarbonizar”. Mas o que é isso, afinal? E o que tem a ver com você? O uso de combustíveis fósseis, seja de carros (gasolina ou óleo diesel), seja nas indústrias (óleo combustível, gás natural, GLP), gera emissão de dióxido de carbono (CO2) no meio ambiente, que é um dos gases que provoca o efeito estufa. Um relatório elaborado pelo Instituto do Desenvolvimento Sustentável e Relações Internacionais mostrou como os 15 países que mais emitem esses gases, entre eles o Brasil, podem baixar drasticamente a concentração de dióxido de carbono e demais gases de efeito estufa em suas atividades até 2050 e ajudar a evitar o aumento da temperatura do planeta em mais de 2°C, conforme estabelecido pelo acordo da ONU em Paris na COP 21.

O caminho para um mundo mais sustentável passa pela “descarbonização”, que significa evitar o uso de combustíveis fósseis e aumento da eficiência energética em seus processos, diminuindo sua intensidade de carbono. No caso das empresas, o conceito está diretamente associado ao desenvolvimento de ações com foco na transição para uma economia de baixo carbono.

Além de garantir um ambiente com menores danos de efeitos climáticos extremos (secas, enchentes, furações, proliferação de doenças etc) para as futuras gerações, empresas que investem em sustentabilidade têm benefícios imediatos, entre eles, o desenvolvimento da imagem e a geração de valor agregado para os negócios. Para alcançar o objetivo de minimizar a pegada de carbono, existem diferentes meios e estratégias que podem ser adotados.

Compra de créditos de carbono

Créditos de carbono ou reduções certificadas de emissões (CERs – Certified Emission Reductions) são certificados emitidos para projetos registrados no âmbito do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) do Protocolo de Kyoto, estabelecido pela Convenção do Clima da ONU vigente desde 2005, pela redução das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE).

O intuito da compra e venda de créditos é permitir que empresas que ainda não adotam soluções de redução da emissão possam compensar a produção de dióxido de carbono, estimulando o desenvolvimento sustentável. As empresas podem comprar créditos de carbono de projetos que investem em ações para reduzir as emissões de GEE e, com isso, diminuem seu impacto no aquecimento global e melhoram a imagem por estarem associadas a ações sustentáveis. Cada crédito adquirido equivale a uma tonelada de CO2 que deixou de ser emitido.

Para estarem aptos a gerar créditos de carbono, os projetos precisam estar em concordância com as regras estabelecidas pelo regulamento deste mecanismo. Com 22 projetos registrados no Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL) estabelecido pela ONU no Protocolo de Kyoto – 12 deles no Brasil – a ENGIE oferece não apenas a venda de crédito de carbono para zerar as emissões das empresas, mas, também, diferentes soluções para a descarbonização e aumento da eficiência energética em seus processos, como o ENGIE-REC.

imagem aérea assu V
Usina solar Assú V exemplifica como é possível gerar energia sustentável e de baixo impacto ambiental
(Foto: )

ENGIE-REC

Uma das formas de investir em uma efetiva descarbonização é substituir a eletricidade gerada em usinas térmicas movidas a combustíveis fósseis por fontes renováveis, como a energia eólica e solar. O ENGIE-REC consiste em contratos de fornecimento de energia renovável no Mercado Livre de Energia com garantia de origem renovável. Na prática, significa que grandes entidades industriais ou comerciais têm a certificação de que a energia consumida é gerada nas usinas eólicas, hidrelétricas ou solares da ENGIE.

Ao contratar o ENGIE-REC, o consumo de energia atendido pelo contrato terá a garantia de compra de energia 100% renovavel, sem emissão de gases de efeito estufa. Além de estimular a geração de energia de baixo carbono, o certificado é uma forma de promover as ações de sustentabilidade socioambiental que envolvem as comunidades onde as Usinas estão localizadas.

I-REC

Toda energia produzida – renovável ou não – é direcionada para o Sistema Interligado Nacional (SIN) e percorre uma rede de transmissão até chegar ao consumidor. Por se tratar de um sistema interligado, é impossível para uma empresa medir quanto da energia que consome é renovável. É aí que entra o I-REC.

Na prática, o I-REC é um certificado que garante que a energia consumida por uma empresa foi gerada a partir de uma fonte renovável como o sol, vento, água e biomassa. O certificado é adotado por empresas que querem neutralizar as emissões do Escopo 2, que se refere à energia que é consumida pela própria empresa. Assim, quando um consumidor adquire um I-REC, independentemente do fornecedor de uma empresa que possui usinas que geram energia renovável, ele se apropria, por meio de um certificado, de uma parcela dessa energia que foi injetada no sistema. Cada I-REC equivale a 1 MWh de energia elétrica renovável.

Os certificados são uma forma de compensar emissões, estimular a produção de energia renovável e fomentar as ações de responsabilidade socioambiental. As soluções oferecidas pela ENGIE estão alinhadas com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU – Organização das Nações Unidas. São 17 ODS que compõem uma agenda global e devem ser implantados até 2030.

A ENGIE está comprometida com o desenvolvimento sustentável e sua empresa pode estar também. Conheça as soluções para descarbonização oferecidas pela empresa.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Especiais Publicitários

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade