nsc
dc

Polêmica

Diretor da cerimônia de abertura das Olimpíadas é demitido por 'piada' sobre o Holocausto

Kentaro Kobayashi aparece em vídeo de 1998 que foi divulgado nesta quinta-feira (22)

22/07/2021 - 10h41

Compartilhe

Por AFP
Kentaro Kobayashi era o diretor artístico da cerimônia de abertura dos Jogos
Kentaro Kobayashi era o diretor artístico da cerimônia de abertura dos Jogos
(Foto: )

O diretor artístico da cerimônia de abertura dos Jogos de Tóquio, Kentaro Kobayashi, foi demitido por fazer uma piada há duas décadas sobre o Holocausto, anunciaram nesta quinta-feira os organizadores do evento. 

> Leia todas as notícias sobre a Olimpíada de Tóquio 

— Soubemos que durante um espetáculo no passado, ele usou uma linguagem burlesca ao se referir a este trágico episódio do passado (o Holocausto, o genocídio de cerca de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial) — declarou a chefe da organização das Olimpíadas no Japão, Seiko Hashimoto, acrescentando que foi decidida "a retirada do Sr. Kobayashi das suas funções".  

A polêmica cena, gravada em vídeo em 1998, mostra Kobayashi e outro ator interpretando comediantes infantis famosos na televisão japonesa. Em um momento da gravação, Kobayashi se refere a alguns bonecos de papel como "aqueles que você disse da última vez: 'Vamos brincar de Holocausto!'", causando risos na plateia.  

A dupla faz outra piada sobre a raiva que essa referência ao Holocausto provocaria em seu produtor de televisão.  

Esse vídeo foi divulgado na madrugada desta quinta-feira, causando grande polêmica. Em um comunicado, Kobayashi se desculpou por palavras "extremamente inadequadas".  

— Era uma época em que eu não conseguia fazer as pessoas rirem da maneira que queria, então acho que estava tentando chamar a atenção das pessoas de forma superficial — justificou. 

> Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Kobayashi, um profissional de renome do teatro no Japão, é o mais recente responsável pela cerimônia de abertura dos Jogos que se envolveu em uma polêmica. Na segunda-feira, Keigo Oyamada, compositor de uma das canções da cerimônia, pediu demissão por assediar colegas deficientes quando era estudante.  

Em março, o diretor artístico das cerimônias de abertura e encerramento das Olimpíadas, Hiroshi Sasaki, já havia pedido demissão por ter sugerido internamente vestir a atriz japonesa Naomi Watanabe com uma fantasia de porco.

Leia também

Olimpíadas 2021: veja quais são as modalidades

Apendicite tira tenista Bruno Soares das Olimpíadas de Tóquio

Olimpíadas de Tóquio terá skate pela primeira vez; entenda a disputa

Conheça os 15 catarinenses convocados para as Olimpíadas de Tóquio

Colunistas