nsc
an

Violência

Dois homens são mortos a tiros atrás de escola na zona Leste de Joinville

Duplo assassinato ocorreu no início da tarde desta terça-feira próximo ao Caic do bairro Comasa

22/08/2017 - 10h34 - Atualizada em: 21/06/2019 - 21h39

Compartilhe

Por Redação NSC

Dois homens são assassinados em Joinville

As vítimas foram mortas na esquina das ruas Beira Mangue com a Max Boehm. Segundo relatos de testemunhas à Polícia Militar, um carro da marca Renault, na cor branca, estacionou no meio da rua e deixou os dois no local. Neste momento, vários disparos foram feitos em direção aos homens.

Leia as últimas notícias de Joinville e região em AN.com.br

Os disparos atingiram a cabeça das vítimas - uma deles também foi ferida com um tiro no peito. O Instituto Geral de Perícias (IGP) fez a perícia no local e localizou pelo menos 12 cápsulas calibre .380. Um dos homens foi identificado pela polícia como Alexandre Galvan, 36 anos, o outro ainda aguarda identificação.

Crime ocorreu em plena luz do dia
Crime ocorreu em plena luz do dia
(Foto: )

De acordo com testemunhas, o carro fugiu no sentido bairro e, aparentemente, três ocupantes estavam dentro do veículo. Segundo um morador — que não quis ter a identidade revelada — os dois homens residiam no Comasa e eram conhecidos no bairro pelos apelidos de Xande e Iquinho. Ainda conforme o morador, eles teriam efetuado diversos roubos nos últimos meses na região e há pelo três semanas não eram visto mais andando nas ruas do bairro.

Agentes das polícias Civil e Militar foram até o local da ocorrência
Agentes das polícias Civil e Militar foram até o local da ocorrência
(Foto: )

De acordo com a Polícia Militar, Alexandre tinha pelo menos cinco passagens pelo sistema prisional. Com o crime desta terça-feira, sobe para 90 o número de mortes violentas em Joinville neste ano. O valor é 25% maior se comparado ao mesmo período do ano passado, onde 72 crimes desta natureza haviam ocorrido na cidade.

Leia também:

Quatro bairros concentram quase um terço das mortes violentas de Joinville em 2017

Joinvilenses mostram o que fazem para diminuir a sensação de insegurança na cidade

Saavedra: À espera de seguro, Águia de Joinville fica sem voar

Colunistas