nsc
    dc

    Abastecimento 

    Domingo registra falta d'água em cidades da Grande Florianópolis 

    Comunicados da Casan informam que rompimento da rede e problema da estiagem são razões de desabastecimento em diferentes bairros 

    29/09/2019 - 17h28 - Atualizada em: 29/09/2019 - 17h30

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    Rio Vargem do Braço, em Palhoça, responde por 75% do abastecimento da Grande Florianópolis e apresenta nível muito abaixo do normal
    Rio Vargem do Braço, em Palhoça, responde por 75% do abastecimento da Grande Florianópolis e apresenta nível muito abaixo do normal
    (Foto: )

    O domingo registra falta d’água em pelo menos três cidades da Grande Florianópolis. Segundo comunicados divulgados pela Casan, os municípios de Florianópolis, São José e Biguaçu enfrentam desabastecimento desde o início da manhã. O retorno do serviço está prevista para ocorrer a partir das 18h deste domingo, com normalização completa até a meia-noite.

    No caso de Florianópolis, o problema é ainda mais grave nos bairros Costeira do Pirajubaé e Carianos. Nesses locais, um rompimento da rede de distribuição prejudica o fornecimento desde a manhã. Nesse caso, o restabelecimento da distribuição de água estava previsto para ocorrer a partir das 15h, até as 18h.

    Problema recorrente para moradores

    Quem mora em Florianópolis tem enfrentado com freqüência ao longo dos últimos meses desabastecimentos de água em que a justificativa informada pela Casan é a estiagem que afeta a região.

    O tradutor Flávio Britto mora no bairro Carvoeira e se deparou com a falta d’água por volta das 21h de sábado. Após entrar em contato com a concessionária, ele foi informado de que o serviço seria retomado até a meia-noite. Mas até as duas horas da madrugada deste domingo a situação ainda não estava normalizada.

    Na manhã deste domingo, após algumas horas em que voltou a ter água nas torneiras, Flávio se deparou novamente com problema de falta d’água. O motivo informado no novo contato com a central de atendimento da Casan foi o mesmo: estiagem. Desta vez, a promessa era de que o abastecimento seria retomado somente a partir das 18h.

    – Nos oito anos em que moro em Florianópolis, apenas em um não houve interrupção de dois ou três dias sem água, geralmente no verão. A falta d’água é um problema sério. É preferível ficar sem energia elétrica a ficar sem água porque você não consegue cozinhar, tomar banho – afirma o morador.

    Investimentos para evitar impactos no futuro

    A estiagem tem sido a justificativa para os problemas de falta d'água enfrentado nos últimos meses. Na última semana, a Casan informou que a atual estiagem da Grande Florianópolis é a pior e mais duradoura desde que a companhia tem registro.

    O volume de captação de água no Rio Vargem do Braço (também chamado de Pilões), em Palhoça, até a terça-feira estava 49% abaixo do normal — o pior índice dos últimos meses. A chuva da semana anterior, que poderia parecer uma boa notícia, chegou a cerca de 44 milímetros em Florianópolis, mas na região de captação de água foi de apenas 13 milímetros.

    Para evitar que a estiagem traga novamente problemas tão severos no futuro, a Casan já anunciou nos últimos meses medidas como a compra de novas bombas e o aumento da vazão no Rio Cubatão. Outra iniciativa é buscar atacar os vazamentos e perdas na rede, que hoje chega a 40%, entre vazamentos e perdas comerciais (com ligações irregulares, por exemplo). Uma empresa foi contratada para buscar evitar os vazamentos.

    A instalação de novas adutoras e o aumento da capacidade de captação de água no Rio Cubatão são outras medidas que a Casan anunciou que pretende buscar para evitar reflexos da estiagem no futuro.

    Acesse as últimas notícias do NSC Total

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas