nsc
an

Début Clássico

Duas noites de gala marcam os 15 anos da Escola Bolshoi em Joinville

Restam ingressos apenas para o espetáculo Don Quixote, na segunda-feira

13/03/2015 - 07h31 - Atualizada em: 13/03/2015 - 08h55

Compartilhe

Por Redação NSC
Erick Swolkin e Chinara Alizade, do Bolshoi de Moscou, são os protagonistas de Don Quixote
Erick Swolkin e Chinara Alizade, do Bolshoi de Moscou, são os protagonistas de Don Quixote
(Foto: )

A temperatura da arena do Centreventos Cau Hansen, em Joinville, terá grandes variações entre domingo e segunda-feira. A previsão divulgada pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, no entanto, não será medida por termômetros. Na comemoração de seus 15 anos, a instituição promete transportar o público para o inverno europeu com O Quebra-nozes e, no dia seguinte, subir a sensação térmica com o vigor do balé Don Quixote.

De um lado, um clássico com produção de luxo estreado pela escola em novembro de 2014 e, portanto, visto apenas por um seleto grupo de pessoas - aquelas que conseguiram garantir os disputados ingressos da première. Do outro, o primeiro grande balé remontado pela escola e levado ao palco 38 vezes em turnês pelo Brasil - em Joinville, a última apresentação de Don Quixote foi em 2013. A escolha pelo recém-chegado e o já tradicional do repertório da única filial do balé russo não foi ocasional. Ambos marcam fases distintas da instituição.

- Montar Don Quixote foi difícil para nós naquele momento (a estreia foi em 2007). Precisávamos concentrar forças, contratar solistas de fora. Hoje, este balé poderia muito bem ser estrelado apenas pelos alunos. Já O Quebra-nozes se parece muito mais com a identidade atual da escola - comenta o diretor geral, Pavel Kazarian.

Como toda debutante merece, é para a escola que o foco deve estar voltado. A presença de quatro bailarinos do Teatro Bolshoi de Moscou - três deles solistas russos - não são considerados as atrações principais.

- A atenção especial deve estar voltada para a escola - frisa Pavel.

Entre os convidados ainda está Erick Swolkin, um joinvilense formado pela filial brasileira que há três anos ingressou no disputado corpo de baile da sede russa junto com a maranhense Bruna Gaglianone, sua partner na época de Bolshoi Brasil. Bruna também subiria ao palco ao lado de Erick em Don Quixote, mas uma lesão de última hora fez com que ela fosse substituída pela russa Chinara Alizade, que completa o elenco russo com Maria Mishina e Alexander Volchkov, protagonistas de O Quebra Nozes. Atualmente, Erick e Bruna fazem parte do corpo de baile "ouro", grupo titular nas turnês e remontagens da companhia referência mundial.

- Quando cheguei em Moscou, fiquei três meses sem entrar em elenco algum, só fazendo aulas e aprendendo todo o repertório da companhia. Foi difícil para mim porque não queria ficar muito tempo sem dançar. Hoje, viajamos o mundo por causa das turnês. Nos próximos dias, quando eu voltar para Moscou, já tenho apresentações marcadas em Hong Kong, na China - conta o bailarino joinvilense.

O quê: O Quebra-nozes e Don Quixote.

Quando: domingo (O Quebra-nozes) e segunda-feira (Don Quixote).

Onde: Centreventos Cau Hansen, em Joinville.

Quanto: ingressos para a primeira noite estão esgotados. Para segunda, há entradas para a Plateia 3. Vendas na recepção da escola e no www.ticketcenter.com.br, a R$ 30 (inteira).

Leia mais:

:: Confira 10 motivos para não perder O Quebra-nozes da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil

:: Para coreógrafo russo, O Quebra-nozes do Bolshoi Brasil fará história

Assista a um vídeo sobre o espetáculo O Quebra-nozes:

Colunistas