nsc
santa

Assassinato

Duas pessoas são condenadas por envolvimento em morte de empresário em Balneário Camboriú

As penas do homem e da mulher somam mais de 28 anos de reclusão

05/08/2022 - 20h23 - Atualizada em: 05/08/2022 - 20h41

Compartilhe

Joana
Por Joana Caldas
Duas pessoas são condenadas por envolvimento em morte de empresário em Balneário Camboriú
Empresário foi morto a tiros na frente de casa em janeiro de 2020
(Foto: )

Duas pessoas foram condenados à prisão por envolvimento na morte do empresário Humberto Luiz Cavazzotto, em Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense, em janeiro de 2020. As penas do homem e da mulher, juntas, somam mais de 28 anos de reclusão. Eles podem recorrer da decisão.

Receba notícias do DC via Telegram

Segundo o g1 SC, em abril deste ano, dois homens já tinham sido condenados no mesmo caso. O tribunal do júri com o homem e a mulher ocorreu nesta quinta-feira (4), mas o g1 não conseguiu contato com a defesa dos réus. A mulher poderá recorrer em liberdade.

De acordo com o Ministério Público de Santa Catarina, o homem recebeu pena de 20 anos e cinco meses de prisão em regime fechado, mais 12 dias-multa no valor total de R$ 418 por adulteração de sinalização de veículo. Já a mulher foi condenada a oito anos de prisão em regime inicial semiaberto. Segundo o MPSC, ela acompanhava informações do homicídio pelo rádio, televisão e internet para comunicar e ajudar na fuga pós-homicídio.

Segundo o Ministério Público, o assassinato do empresário foi planejado por um advogado, que estava incomodado com a cobrança insistente de uma dívida, e pela namorada dele. De acordo com a denúncia, o advogado comprou um carro Golf por R$ 100 mil e, por não ter feito o pagamento completo, era cobrado constantemente. Por causa das cobranças, começou a planejar a morte do empresário. 

De acordo com o g1 SC, o outro condenado no tribunal do júri é um amigo do advogado. À época do crime, esse amigo estava preso em Osório (RS). Com a ajuda dele, o advogado e a namorada conseguiram o contato de um quarto homem, contratado para assassinar o empresário, segundo o Ministério Público.

No dia anterior ao homicídio, o acusado de ser o autor dos disparos roubou um carro em Itajaí, cidade vizinha a Balneário Camboriú. Por meio do amigo que estava preso em Osório, o advogado e o autor dos tiros trocaram a placa original do veículo roubado por placas clonadas. O amigo também orientou os executores sobre como deveriam abordar a vítima, vigiá-la, escapar do local e seguir para Porto Alegre. 

Execução

No dia do crime, o autor dos disparos estacionou próximo à casa do empresário e o advogado teria ficado à espreita, próximo do local. Por volta das 8h25, a vítima foi até a frente de casa para despedir-se de um amigo com quem estava tomando chimarrão. Nesse momento, Cavazzotto foi abordado pelo criminoso e levou seis tiros, morrendo no local.

O homem que atirou, fugiu no carro que havia sido roubado e, depois, abandonou o veículo perto da casa da vítima. Em seguida, ele se encontrou com o advogado e ambos seguiram para Porto Alegre. A namorada do advogado ficou em casa, monitorando veículos de comunicação e redes sociais para passar aos demais as informações sobre o homicídio que eram divulgadas.

Condenação anterior

O advogado e o autor dos tiros foram condenados em outro julgamento, feito em 27 de abril deste ano. O homem que atirou na vítima foi condenado a 33 anos, um mês e 13 dias de prisão em regime inicial fechado, e a 34 dias-multa, no valor total de R$ 1.184,33 mil. Já o advogado recebeu pena de 17 anos de prisão, em regime inicial fechado, e 10 dias-multa, no valor total de R$ 348,33.

Leia também 

Mães protestam contra justiça por encaminhar filhos à adoção

VÍDEO: "Dia especial", lembra Vox3 sobre entrevista a Jô

Colunistas