nsc

publicidade

"Durante seis meses, fecha o cofre, deixa só encher", aconselha Pinho Moreira ao sucessor

28/12/2018 - 10h07 - Atualizada em: 28/12/2018 - 11h36

Compartilhe

Por Redação CBN Diário

O governador Eduardo Pinho Moreira (MDB) afirmou na manhã desta sexta-feira (28) que entregará o Estado com um crescimento na receita de 12%, na comparação com dezembro de 2017. Ao falar sobre os 10 meses em que esteve à frente do governo, destacou a economia de R$ 1,4 bilhão e a redução do déficit do estado para R$ 548 milhões.

— Eu tenho dito para o Moisés: Moisés [o governador eleito Carlos Moisés da Silva], durante seis meses, fecha o cofre, deixa só encher, abre só a porta de entrada, a porta de saída você fecha, porque aí você vai ter realmente um diagnóstico, porque a receita está crescendo — afirmou Pinho Moreira.

Pinho Moreira atendeu a imprensa nesta sexta-feira, após a inauguração da galeria de ex-governadores no Centro Administrativo em Florianópolis. O espaço reúne 32 telas, com 28 governadores, já que quatro deles exerceram dois mandatos. A galeria exibe imagens desde Lauro Müller, governador em 1889, o primeiro após a proclamação da república até agora.

Desafios

Sobre os desafios do próximo governo, Pinho Moreira declarou que será necessária a continuidade da redução da máquina pública.

— Qual o grande problema do governo do estado? O déficit previdenciário, quase R$ 4 bilhões, é algo que vai para um grupo reduzido de pessoas e que deixa de trazer o bem e investimentos em prol da sociedade. Acho que o enfrentamento disso vai estar atrelado a provavelmente aquilo que vai acontecer em Brasília, na reforma previdenciária.

Ponto de partida

Para Pinho Moreira, Carlos Moisés receberá o governo com os serviços básicos de atendimento à população funcionando com eficiência.

— Ele pega uma receita ascendente. Isso é importante para que ele possa colocar em prática os seus programas e os seus projetos, mas, como ele vai fazer uma reforma administrativa, que vai encaminhar apenas em fevereiro, não acredito que isso seja aprovado em um mês, ele vai ter lá pra maio o resultado dessa reforma administrativa e até lá ele deve realmente manter os serviços de saúde que vão bem, manter os serviços de segurança pública que estão bem. Os R$35 milhões da operação veraneio já estão garantidos. Então, tudo aquilo que é fundamental para o dia a dia da população já está garantido. Então, manter isso e aí ter tempo de implantar os seus programas - afirmou.

Deixe seu comentário:

publicidade