publicidade

Polícia
Navegue por

Atropelamento nos Ingleses

"Ele saiu do local com medo de linchamento", diz advogado de motorista de Camaro

Defesa afirma que imagens de câmera de segurança vão ajudar a esclarecer como ocorreu o acidente. Assista ao vídeo

04/01/2017 - 13h22 - Atualizada em: 21/06/2019 - 23h10

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

O advogado Ademir Costa Campana, que defende Jeferson Bueno, 29 anos, motorista do Camaro que atropelou três pessoas na madrugada de Réveillon nos Ingleses, causando a morte de uma delas, afirma que seu cliente só saiu do local do acidente depois de acionar a ambulância. Além disso, afirma que Jeferson saiu por medo de ser linchado por populares que testemunharam o atropelamento. Ele pede a revogação da prisão.

Campana contou à reportagem da Hora que foi procurado por Jeferson ainda no domingo, dia 1°, na cidade de Taquara, no Rio Grande do Sul, Estado de origem do motorista.

— Ele relatou tudo que ocorreu no dia. Explicou que ele vinha andando na SC-403 e de repente sofreu um abalroamento — afirma o advogado.

A defesa está interessada em esclarecer os fatos porque, segundo Campana, "no primeiro momento se noticiou que ele teria atropelado e fugido".

— O delegado se precipitou em pedir a prisão preventiva sem antes examinar as imagens. Elas são claras. Ele vinha andando e um Audi invade a pista, dá o impacto e ele é jogado pra fora. Providenciou com alguns populares a chamada da ambulância. Ele só saiu do local em razão do fato de que estava sendo ameaçado, tanto que o condutor do Audi apanhou. Isso justifica a saída do meu cliente, saiu com medo de um linchamento — defende Campana.

O advogado explica também que Jeferson estava em uma pousada com a família, próximo do local. De acordo com ele, foi por medo de represália que o motorista deixou rapidamente o imóvel e voltou para o RS, onde entrou em contato com Campana.

Ele ainda afirma que a PM errou também em não ter realizado exame do bafômetro no condutor do Audi (ele se apresentou na delegacia). Campana ainda garante que seu cliente transitava em velocidade entre 80 e 85 km/h no momento do acidente.

— Meu cliente está abaladíssimo, ele é de uma família humilde, honesta. Não tem antecedentes, é trabalhador — diz o advogado. Para Campana, "o motorista do Audi é o real causador da tragédia".

Câmeras de segurança mostram colisão de Camaro nos Ingleses, em Florianópolis

Segundo o advogado Campana, uma equipe que atua em Santa Catarina vai entrar com pedido de revogação da prisão de Jeferson, que já foi emitido pela Justiça catarinense.

— Meu cliente não bebeu, não usa drogas, isso será demonstrado durante o processo — garante o advogado.

De acordo com Campana, se não houvesse o pedido de prisão, o motorista já teria se apresentado.

— Ele diz que é tão vítima quanto os que estão hospitalizados. A minha orientação é se apresentar, mas por enquanto ele não vai se apresentar — afirma Campana, que diz que seu cliente está em Porto Alegre.

Leia mais:

"Não tenho mais condições de morar em Florianópolis", diz pai de vítima do acidente nos Ingleses

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação