nsc
dc

publicidade

Nova fórmula

Em formato inédito, Brasileirão pode ter volta do mata-mata em 2016

Discussão sobre o formato partiu do presidente gremista, Romildo Bolzan Jr.

04/03/2015 - 08h56 - Atualizada em: 04/03/2015 - 15h53

Compartilhe

Por Redação NSC
Presidente do Grêmio defende volta do mata-mata
Presidente do Grêmio defende volta do mata-mata
(Foto: )

O Campeonato Brasileiro por pontos corridos pode viver, em 2015, a sua última edição. Reunião dos principais dirigentes do futebol brasileiro na sede da CBF, no Rio de Janeiro, na última segunda-feira, teve a volta do mata-mata como um dos assuntos, de acordo com a ESPN. A ideia, inicialmente proposta pelo presidente gremista, Romildo Bolzan Jr., não estava prevista na pauta, mas foi comentada pelos presidentes de clubes.

Segundo o repórter Gustavo Zupak, da Rádio Globo, o formato proposto está perto de ser consolidado. O sistema em turno e returno atual seria mantido, mas o campeonato ganharia fases semifinal e final - os quatro melhores colocados da primeira fase seriam os classificados. Para possibilitar o aumento do Brasileirão, seriam reduzidas as datas disponíveis para os campeonatos estaduais.

Atraso de salários no Brasileirão pode causar perda de pontos

O presidente da Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Novelletto, se mostrou contrário à mudança:

- Para mim, é retrocesso. Já temos campeonatos em mata-mata. Na metade do campeonato, já tem muito desclassificado que só brigará contra o rebaixamento. A Federação Gaúcha é contra isso. Não temos que inventar a roda, é assim (pontos corridos) no mundo inteiro - disse, em entrevista a Zero Hora.

Grêmio pega Ponte Preta e Inter encara o Atlético-PR na primeira rodada

Em janeiro, Romildo Bolzan justificou a decisão de iniciar as discussões sobre a volta do mata-mata.

- Lancei a ideia e teve uma boa aceitação. Se seguir como está, o futebol brasileiro vai ter uma diferença tremenda. Estamos propondo a volta do equilíbrio. Os playoffs permitem equilíbrio e motivação - explicou.

A CBF vai dar ouvidos ao que os clubes decidirem, segundo garantiu, nesta quarta-feira, o futuro presidente da entidade, Marco Polo Del Nero.

- Esse é um assunto dos clubes. Eles que vão decidir. A decisão é dos clubes, sem dúvida. Nós podemos opinar, mostrar os caminhos, mas a vontade soberana é dos clubes. Só foi criada uma comissão para vários assuntos, inclusive esse. A comissão permanece até o final do Campeonato Brasileiro. É um estado democrático, uma maneira democrática que o presidente Marin trouxe e eu vou continuar - afirmou o dirigente, em Assunção, onde foi eleito para continuar na Fifa, exercendo a função de membro do Comitê Executivo.

O presidente eleito da CBF rechaça que já tenha havido um direcionamento em relação a uma fórmula de mata-mata.

- Por ora, não há nada.

Del Nero complementa ainda dizendo que a televisão não vai influenciar a decisão.

- Não sei o que a Globo pensa. Nem eu tenho opinião formada sobre isso. Eles (clubes) que fazem o futebol, a alegria do povo. Nós administramos a vontade deles. É isso que os dirigentes têm que entender. Eles confiam na gente, naquilo que temos que administrar, praticando justiça - emendou.

O Brasileirão foi lançado em 1971. Nas mais diferentes fórmulas, teve fases finais até 2002. No último formato antes da entrada dos pontos corridos em 2003, todos os times se enfrentavam em turno único. Os oito melhores classificados disputavam quartas de final, semifinal e final - 25 datas. O novo modelo proposto exigiria 42 datas.

*ZH ESPORTES e LANCEPRESS!

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Esportes

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade