nsc
    dc

    CASAMENTO ADIADO 

    Em quarentena, noivas buscam apoio após adiarem casamento

    Noivas que foram obrigadas a adiar o casamento procuram umas às outras em busca de conselho e consolo, para enfrentar algo sem precedentes

    06/04/2020 - 13h25

    Compartilhe

    Por The New York Times
    casamento
    (Foto: )

    *Por Alyson Krueger

    Quando Jenna Yarema, psicoterapeuta em Austin, no Texas, se viu obrigada a adiar seu casamento, marcado para o dia 29 de março, devido ao coronavírus, houve ao menos um consolo: sua melhor amiga de infância, que se casaria dois meses depois, passava pela mesma coisa. "Fizemos à moda antiga e acho que nos telefonamos todos os dias", afirmou.

    Inicialmente, elas conversaram sobre a logística. Como contar aos convidados sobre o adiamento? Quando deveriam escolher uma nova data? Depois, começaram a falar sobre suas emoções. "Chegamos ao ponto em que chorávamos e gritávamos uma com a outra pelo telefone. Acho que todos em nossa vida estavam tentando nos ajudar a encontrar algo de positivo na situação, para sermos otimistas. Mas estávamos muito tristes e queríamos conversar com alguém que entendesse", afirmou Yarema, de 32 anos.

    Noivas que foram obrigadas a adiar o casamento procuram umas às outras em busca de conselho e consolo, para enfrentar algo sem precedentes. Algumas trocam mensagens e telefonemas diariamente com as noivas que conhecem. Outras recorrem a pessoas desconhecidas no Facebook ou no Reddit. Algumas noivas com casamento marcado para o fim do ano começam até mesmo a mudar os planos, levando em conta que o casamento talvez precise ser reagendado.

    Os noivos também estão tristes com esse problema. "Meu noivo tem conversado com a família, mas acho que ele não precisou fazer a mesma maratona de telefonemas que eu", contou Yarema.

    Cara Strickland, de 32 anos, é jornalista em Spokane, Washington, e sabe que o adiamento de seu casamento, marcado originalmente para 28 de março, não é a coisa mais importante deste momento. "É óbvio que é pesado para mim, mas, no contexto geral, isso é muito menos importante que a pandemia. Eu me sinto até um pouco egoísta por ficar tão chateada com isso", afirmou.

    No entanto, ela tem ao menos uma amiga que está no mesmo barco. As duas podem lamentar a perda uma com a outra, sem serem julgadas. "Quando você passa por uma coisa dessas, especialmente sendo mulher, compreende como é injusto ter o casamento sequestrado por uma pandemia", disse Strickland.

    Outras noivas recorrem às redes sociais para conversar com desconhecidos que possam ajudá-las a aceitar a realidade e seguir adiante.

    Bekka Bjorke, de 29 anos, é fotógrafa em Longview, Washington, e postou uma imagem em um grupo do Reddit dedicado ao planejamento de casamentos. Era uma foto sua provando o vestido de casamento. "Cancelei nossa cerimônia marcada para junho de 2020, mas olhem meu vestido de princesa", escreveu. Mais de 40 pessoas comentaram que ela estava linda e a parabenizaram por tomar essa decisão tão difícil.

    "Isso me ajudou a perceber que essa é a nova realidade. Se eu disse na internet que isso é real, é porque realmente é real", afirmou.

    Molly Gregor, editora da revista "New Jersey Bride", gerencia um grupo no Facebook com mais de dez mil noivas que vivem em seu estado. Ela estima que o grupo receba 200 postagens por dia, o dobro da atividade normal. As noivas com casamento marcado para abril conversam sobre como os salões estão lidando com os reagendamentos, enquanto as noivas com casamento marcado para maio e junho se perguntam se devem manter a data ou tentar adiar.

    Para Gregor, é inspirador ver como as noivas que adiaram o grande dia se sentem aliviadas. "Elas querem saber quem se casaria no mesmo dia ou quem havia alugado o mesmo lugar."

    Katie Hurley, de 32 anos, é babá em Great River, Nova York, e disse que teve sorte, pois o local que ela havia alugado para se casar no dia 27 de março, a Mansion, em Timber Point, tem um grupo no Facebook com mais de 300 noivas. "Estamos conversando umas com as outras, procurando respostas. Quando será seguro novamente? Para quando remarcar? O que dizer a nossas famílias?"

    Alguns comerciantes também oferecem apoio emocional. A designer de moda para noivas Danielle Hirsch, por exemplo, oferece consultas virtuais por meio de sua marca, Danielle Frankel. Ela está abrindo o atelier para noivas que querem continuar o planejamento durante a pandemia ou que precisam de alguém para conversar depois do adiamento da cerimônia.

    Para Keri Sowerby, gerente sênior de experiência do consumidor da Knot, é importante validar os sentimentos dessas noivas.

    No dia 13 de março, a Knot e a WeddingWire criaram uma linha telefônica que funciona 24 horas para atender noivas que precisam de conselhos de especialistas em casamento. A iniciativa recebeu 2.134 ligações na primeira semana. A principal preocupação das noivas é saber se outras pessoas estão tomando as mesmas decisões. "Elas querem saber se são as únicas que decidiram adiar o casamento. Essa é sua maior preocupação", disse Sowerby.

    Mas nem sempre é bom conversar com outras pessoas na mesma situação. "O perigo é tentação de ficar curtindo a fossa. É preciso encontrar um equilíbrio", aconselhou Strickland.

    Yarema afirmou que é difícil conversar com noivas que tiveram de adiar o casamento meses antes, quando o dela foi cancelado uma semana antes da data marcada. "Em comparação com o resto das noivas, meu caso é muito diferente, pois foi muito em cima da hora. Já havíamos chegado a um ponto em que estávamos fazendo a contagem regressiva, e foi então que a coisa desandou."

    Algumas noivas fazem mais que conversar e ajudar as outras a reagendar o casamento, mesmo que isso possa atrapalhar um pouco seus próprios planos.

    Lisa Glover, de 29 anos, é editora na Filadélfia e vai se casar na Anthony Wayne House, em Paoli, na Pensilvânia, em uma noite de sábado em meados de julho deste ano. Ela faria o ensaio na sexta-feira à noite, mas a planejadora perguntou se outra noiva que precisou reagendar a cerimônia poderia usar o espaço naquele horário.

    "Respondi que sim, sem hesitar. Não consigo nem quero imaginar como seria estar na mesma posição que muitas outras noivas estão neste momento", escreveu ela em um e-mail.

    The New York Times Licensing Group – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.

    Colunistas