nsc
an

180 minutos de violência

Em três horas, três pessoas foram assassinadas em dois bairros de Joinville

Criança de seis anos passeava com a avó quando foi vítima de bala perdida

25/06/2015 - 02h03 - Atualizada em: 25/06/2015 - 08h51

Compartilhe

Por Redação NSC
A mãe do menino Matheus chora abraçada a familiares ao receber a notícia da morte
A mãe do menino Matheus chora abraçada a familiares ao receber a notícia da morte
(Foto: )

Num intervalo de três horas, entre as 14h e as 17h de ontem, os caminhos de Edson, Matheus e Wagner cruzaram com o da violência urbana em Joinville. Os três foram mortos de forma trágica e elevaram para 55 o número de homicídios registrados na cidade neste ano.

Dois crimes aconteceram no bairro Jardim Paraíso, na zona Norte, e outro no bairro Anita Garibaldi, na zona Sul. Houve mobilização de quase todas as equipes da Polícia Militar, do Samu e do Instituto Médico Legal para atender às ocorrências.

A primeira vítima, Wagner Rodrigues Nunes, 19 anos, foi baleada numa transversal da rua Júpiter, no Jardim Paraíso, quando trafegava em uma moto. Segundo a PM, os tiros vieram de dentro de um carro, um Renault Sandero, que perseguia a motocicleta pilotada por outra pessoa. Um dos disparos acertou o carona Wagner, que já tinha passagens pela polícia e morreu no local. O condutor da moto fugiu.

Durante a perseguição, uma bala perdida atingiu a cabeça de Matheus de Oliveira, de seis anos. Ele caminhava com a avó em direção à casa da tia quando recebeu a bala perdida.

Matheus foi socorrido pelo helicóptero Águia, da PM, que o levou para o Hospital Infantil. Por quase duas horas e meia, os médicos do hospital tentaram reanimá-lo. A morte foi confirmada por volta das 17h.

A mãe de Matheus, o pai, o tio e a avó, que caminhava com a criança na calçada no momento do disparo, ficaram chocados quando receberam a notícia.

- Tiraram de mim o que eu mais amava. Queria que o tiro tivesse me acertado, não o meu neto - gritava, inconsolável, a avó da criança.

A mãe de Matheus ficou em estado de choque e precisou ser socorrida por uma equipe médica. Conforme a PM, a criança sofreu duas paradas cardiorrespiratórias a caminho do hospital.

O dia de violência ainda reservava espaço para outro crime. Do outro lado da cidade, o empresário Edson Roberto de Paula, 44 anos, foi executado a tiros quando saía do estacionamento do Shopping Joinville, na rua Leite Ribeiro. De acordo com testemunhas, ele teve o veículo emboscado em frente à Estação da Memória e recebeu seis tiros.

Logo depois, Edson perdeu o controle da direção e invadiu o parque que fica em frente ao estacionamento, derrubando bancos, postes e lixeiras. Quando a polícia chegou ao local, as portas do veículo estavam abertas, e Edson, morto sobre o volante.

A luta pela vida de Matheus

Nos 12 km que separam o local dos disparos, no Jardim Paraíso, até o Hospital Infantil, no bairro América, Matheus de Oliveira lutou pela vida. Durante o trajeto, teve duas paradas cardiorrespiratórias e foi ressuscitado pela equipe de resgate. Eram 14h30 quando o helicóptero deixou a criança sob os cuidados dos médicos do Infantil.

Durante duas horas e meia, Matheus permaneceu sobre a mesa de operações. Infelizmente, dali ele saiu sem vida, para a tristeza de amigos e familiares.

O cenário era tão terrível quanto o de um crime. Entre os carros estacionados, a mãe, quase sem forças, chorava deitada no chão. Do outro lado do pátio, a avó gritava desesperadamente.

- Ele era um menino tão novo, tão alegre. Não dá para entender uma coisa dessas, uma monstruosidade dessas - disse o tio da criança, Valmir Furman.

O corpo do garoto será velado nesta quinta-feira, na capela da Igreja São Domingos Sávio, no Jardim Paraíso.

Wagner estava na condicional

O crime que tirou a vida de Matheus teve como cenário a avenida Júpiter, uma das principais vias do bairro Jardim Paraíso. De acordo com a polícia, o suspeito que estava dentro de um veículo Sandero atirou contra um homem que estava em uma moto. Ele teria feito vários disparos em direção à moto com o carro em movimento.

No momento em que ocorreram os disparos, Matheus passava pela rua na companhia da avó. Poucos metros depois do local, o homem que era o alvo dos disparos, Wagner Rodrigues Nunes, de 19 anos, foi atingido e morreu no local. Segundo a polícia, Wagner tinha passagens pela polícia e estava em liberdade provisória.

Empresário sofreu emboscada

No homicídio do bairro Anita Garibaldi, o cenário encontrado comprovava a frieza dos criminosos. O empresário Edson Roberto de Paula, 44 anos, foi morto enquanto saía do estacionamento do Shopping Joinville, antigo Americanas, por volta das 15h.

Segundo a PM, ele estava em uma caminhonete Nissan Frontier, com placas de Chapecó, quando foi abordado por outro veículo na rua Leite Ribeiro. Edson teria sofrido uma emboscada e receber seis tiros. Em seguida, ele perdeu o controle da direção do veículo, invadiu o parque que fica em frente ao estacionamento, na antiga estação ferroviária de Joinville, destruiu bancos, postes e lixeiras.

A porta do veículo foi encontrada aberta pelos policiais, com o empresário sem vida e sentado no banco do motorista.

Os policiais informaram que apenas um dos tiros desferidos contra a vítima, entre o pescoço e a cabeça, causou a morte.

Colunistas