nsc

publicidade

DE OLHO NO MOSQUITO 

Em uma semana, cresce 18,4% o número de casos de dengue em Santa Catarina

Em comparação com o último boletim, houve a confirmação de 124 casos autóctones e 7 casos importados

24/05/2019 - 09h12 - Atualizada em: 04/07/2019 - 16h18

Compartilhe

Por Camila Levien

Os números da dengue só aumentam em Santa Catarina. O último boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC), divulgado nesta quinta-feira (2), aponta um crescimento de 18,4% no número de casos registrados no Estado em apenas uma semana. Já são 710 confirmados (609 são autóctones - transmissão dentro do Estado, e 56 importados - transmissão fora do estado).

Em comparação com o último boletim, divulgado na semana passada, houve a confirmação de 124 casos autóctones e 7 casos importados. Um total de 131 novos pacientes no Estado.

O Litoral Norte concentra boa parte dos casos, Itapema e Camboriú têm mais de 400 pacientes que contraíram a doença nos próprios municípios. De acordo com o boletim, Itapema está em epidemia de dengue. Apresenta o maior número de casos autóctones (297) no Estado, com uma taxa de incidência de 469,6 casos por 100 mil/hab.

– A caracterização de epidemia ocorre pela relação entre o número de casos confirmados e de habitantes. A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes, explica João Fuck, gerente de Zoonoses da Dive/SC.

O número de municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti passou de 85 para 87. Foram incluídas no boletim as cidades de Santa Helena e São João do Oeste. O que representa um incremento de 22,5% em relação ao mesmo período de 2018, que registrou 71 localidades nessa condição.

De 30 de dezembro de 2018 a 18 de maio de 2019 observou-se 17.568 focos do mosquito em 181 cidades, um incremento de 65,2% comparado ao mesmo período do ano passado.

Mapa indicativo de infestação em SC
Mapa indicativo de municípios infestados em SC
(Foto: )

Para o gerente de Zoonoses, apesar do maior número de casos de dengue terem sido confirmados no mês de abril, é necessário reforçar os cuidados, mesmo com a temperatura mais baixa.

—Isso mostra que é importante as pessoas continuarem a limpar seus terrenos pelo menos uma vez por semana. Que não esqueçam de conferir se a caixa d’água está fechada. Todos os lugares que podem acumular água devem ser inspecionados. Só controlando o mosquito Aedes aegypti é que conseguimos evitar a transmissão de dengue, zika e chikungunya, finaliza.

Orientações para evitar a proliferação do Aedes aegypti:

Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;

Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;

Mantenha lixeiras tampadas;

Deixe os depósitos d’água sempre vedados;

Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;

Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário.

Ainda não é assinante? Faça sua assinatura do NSC Total para ter acesso ilimitado ao portal, ler as edições digitais dos jornais e aproveitar os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade