nsc
    nsc

    Juntos por Santa Catarina

    Empresa ajuda gestores a resolverem processos internos e a terem mais tempo para os negócios 

    Empresa se dedica a transformar processos e otimizar resultados de empresas e consegue se crescer em meio à pandemia

    27/07/2020 - 13h24 - Atualizada em: 27/07/2020 - 13h26

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Foto 01 - A empresária Tatiane Vassoler, da Optimize Assessoria de Chapecó
    (Foto: )

    Contratar uma assessoria remota para delegar aquelas tarefas que consomem muito tempo é uma forma eficaz de focar na essência do negócio e nas atividades que realmente contribuirão para a empresa prosperar. Com essa estratégia, a empresária Tatiane Vassoler, da Optimize Assessoria, de Chapecó, criou soluções e alternativas para ajudar os gestores a alcançarem seus objetivos.

    A empresa iniciou a oferta de serviços no mês de maio de 2020, durante o período da pandemia, disponibilizando atendimentos a micro e pequenas empresas, profissionais liberais, autônomos e pessoas físicas. Entre os serviços oferecidos para MEI, por exemplo, estão classificados em individuais (abertura de empresa, emissão de alvará, alterações de registros, declaração anual, parcelamento de dívida, baixa de registro e declaração de extinção etc) e plano mensal (orientação ilimitada, atualizações cadastrais, preenchimento de relatório mensal de receitas, emissão de notas fiscais etc).

    Tatiane relata que o Projeto Agentes Locais de Inovação (ALI), do Sebrae/SC em parceria com o CNPQ, auxiliou na estruturação de seu novo negócio devido à metodologia disponibilizada aos participantes.

    — As ferramentas aprendidas foram importantes para a formação da minha empresa, principalmente nesse período, no qual todos estão se adaptando e refletem sobre as mudanças e incertezas do pós-pandemia — comenta Tatiane.

    A empreendedora utilizou as ferramentas do quadro de priorização de problemas, o modelo de negócio e a proposta de valor.

    — No quadro de priorização de problemas identifiquei uma necessidade em comum, grande quantidade de atividades e a falta de tempo para executá-las. Todos buscavam alternativas para suprir essa demanda, que aumentou consideravelmente devido à crise sanitária — expôs.

    Tatiane conquistou novos clientes depois que realizou a entrevista para validar sua proposta de valor.

    — Questionei sobre os serviços oferecidos e os métodos propostos com explicação sobre a empresa. Quando finalizei essa etapa, requisitaram meus serviços — comemora.

    Uma das clientes de Tatiane, devido à paralisação do comércio começou a vender pelo WhatsApp, o que resultou no acúmulo dos serviços administrativos e financeiros.

    — Com a elevada demanda em responder os clientes, enviar orçamentos e oferecer os produtos pelo aplicativo, ao apresentar minha empresa ela contratou na hora, pois era o que precisava sem a necessidade de efetivar um novo funcionário — conta.

    Em um mês a empreendedora conseguiu três clientes fixos e realizou outros trabalhos pontuais. No momento, Tatiane está focada na divulgação da empresa para desmistificar a necessidade de ter um funcionário presencial.

    — Algumas pessoas ainda não se sentem confortáveis com o método. O fator positivo da pandemia é de que os trabalhos home office foram alternativas que as empresas encontraram para se manterem operando. Então, acredito que o trabalho remoto veio para ficar e fico muito feliz com isso, pois aos poucos os empresários estão confiando nessa possibilidade — avalia.

    — Com os serviços de assessoria, proporcionamos mais tempo para os empresários se dedicarem a empresa, onde sua atenção é indispensável, enquanto cuidamos dos pequenos detalhes que podem tirar a tranquilidade — argumenta Tatiane. Segundo a empresária, os clientes não se preocupam com encargos e benefícios trabalhistas e não precisam investir em equipamentos ou treinamentos da equipe, além de contar com organização e controle de prazos para entrega das tarefas e terem as informações seguras e protegidas.

    PROJETO ALI

    A agente local de inovação e bolsista CNPq, Luniele Beilke, relembra que a empresária participou do primeiro ciclo do Projeto ALI, em 2019, pela empresa AL Prestadora de Serviços quando teve acesso as diferentes ferramentas para inovar no seu negócio.

    — A metodologia cumpriu com o seu objetivo que é estar disponível para as empresas a utilizarem quantas vezes for necessário para inovar — explica.

    A analista técnica do Sebrae/SC, Marieli Aline Musskopf, enaltece que a metodologia do projeto é focada no desenvolvimento de inovações para micro e pequenas empresas.

    — As inscrições estão abertas no link e a previsão é iniciar os atendimentos em outubro deste ano — antecipa.

    Acesse o canal Juntos Por Santa ​Catarina e veja iniciativas inspiradoras de quem vem enfrentando a crise da Covid-19.​​​​​​​​​​​​​​​​​​

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Economia

    Colunistas