nsc
    santa

    Economia

    Espaços de coworking surgem no Vale como novo modelo de trabalho

    Novos locais, em Blumenau e Itajaí, são referência em criatividade, conexão e compartilhamento

    23/07/2016 - 03h06

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Coollabore, em Itajaí, é uma das opções no Vale.
    Coollabore, em Itajaí, é uma das opções no Vale.
    (Foto: )

    Um espaço para trabalhar, instalar a empresa com menos custo e o mesmo (ou mais) conforto, conhecer pessoas e compartilhar ideias. Essa poderia ser uma definição rápida de coworking, mas seria simples demais. Tanto quem desenvolve quanto quem utiliza locais como este afirma que dividir o espaço de trabalho vai muito além da praticidade.

    Pensados como uma solução para profissionais autônomos ou pequenas empresas, os coworkings - espaços que oferecem estrutura completa para abrigar o trabalho de diferentes áreas - já são comuns em grandes centros, mas só agora começam a dar os primeiros passos no Vale do Itajaí.

    O Offcina Café Coworking, no bairro Itoupava Seca, é o pioneiro deste novo formato em Blumenau. Com um ano de atividades, o espaço foi projetado pelos sócios Ricardo Luiz Guedes, 28 anos, Yuri Alexandre Borges, 28, e Alessandro Luciano Salvador, 38 para ser mais do que um local de atuação de empresas e profissionais. Aqui, a intenção é ser referência em experiência de conexão e compartilhamento.

    - O que a gente vende, antes do espaço, é o networking. São 27 empresas aqui dentro, com pessoas diferentes, profissionais diferentes. Há empresas que nasceram aqui dentro, negócios que foram fechados, sem sair daqui de dentro. O networking é muito grande, então, isso faz diferença - analisa Ricardo, que vê o coworking não apenas como uma tendência, mas como um novo modelo de trabalho que está se estabelecendo.

    Além da área de trabalho - o coworking propriamente dito - o Offcina tem um café, que é aberto ao público e também é um espaço de trabalho, mais salas de reunião e um auditório que são utilizadas pelos profissionais e podem ser alugadas para eventos específicos, o que Ricardo também considera um diferencial.

    - Quando decidimos abrir o espaço vimos que existem diferentes modelos de coworking. O nosso tem o café e sempre buscamos trazer eventos diferenciados porque o nosso objetivo é convidar as pessoas para dentro desse ambiente, fazer com que a comunidade viva isso por meio das ações culturais, artísticas, palestras. A ideia é conciliar trabalho, arte e vida.

    Reconhecimento internacional

    Com apenas quatro meses de funcionamento, o Coollabore Smart Office, de Itajaí, já coleciona resultados: dá espaço a cerca de 15 pessoas que trabalham no local e foi considerado pela revista norte-americana Forbes o segundo melhor escritório de coworking do mundo. A lista foi divulgada no dia 15 e a publicação avaliou, além do espaço, como a empresa colabora com a região onde está inserida e o que ainda precisa melhorar.

    Um dos sócios, o paulista Mauro Luiz Federighi, 40 anos e morador de Itajaí há cinco, explica que conhecia o conceito de viagens por outros países e queria implantar algo aqui. Foi aí que ele uniu a necessidade de ter um escritório para a outra empresa que administra e com outros dois sócios, Caroline Correa e Valdomiro Federighi, para dar vida ao espaço.

    - A ideia era montar um escritório compartilhado e fomentar o empreendedorismo na região. Eu acredito muito no potencial de Itajaí, que eu vi desde que cheguei de São Paulo, e acho que tem muito a ser explorado, muito a crescer, e esse tipo de espaço, de fomento, pode ajudar a cidade a desenvolver esse potencial.

    O Coollabore, na região central da cidade, oferece ambientes compartilhados, salas privativas e espaços para reuniões mas, além disso, proporciona um lugar para o compartilhamento de ideias, pensamento criativo e a conexão entre as pessoas:

    - Quando eu tinha a ideia já sabia do potencial, só não imaginávamos que tudo seria tão rápido. Queremos muito mais e por enquanto é só o começo.

    CARREGANDO...

    Nos próximos meses Blumenau vai ganhar novos espaços de trabalho compartilhado, criatividade e conexão entre pessoas e ideias espalhados pela cidade:

    ? Rex.Co

    Onde: Centro

    O prédio de 1950 que abrigou a primeira sede do Hotel Rex passou por uma restauração e vai sediar um espaço de coworking com capacidade para cerca de 200 pessoas. Em cinco pavimentos, o local terá, além da área de coworking, salas privativas para reuniões e auditório e salas de convivência. A previsão de abertura é final de agosto.

    ? Wind

    Onde: Itoupava Norte

    Será o primeiro passo da criação de um novo polo tecnológico na região do bairro Itoupava Norte, onde hoje está a empresa Blusoft. O espaço, que inicialmente terá capacidade para 70 pessoas, tem como objetivo fomentar o surgimento de startups e a inovação tecnológica em um ambiente focado na criatividade. Um evento de pré-lançamento ocorre no dia 27 e a abertura oficial está prevista para o final do mês de agosto.

    ? Centro de Inovação de Blumenau

    Onde: Campus 2 da Furb

    O projeto do Centro de Inovação prevê a construção de áreas de coworking, que estão sendo elaborados pela mesma empresa que desenhou o prédio principal. O espaço está em obras e ainda não há previsão de inauguração.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas