Duas mulheres e um homem foram condenados pela Justiça de Santa Catarina por aplicarem golpes por redes sociais. Ao todo, 19 vítimas do Sul do Estado foram afetadas e devem receber indenização por perderem itens pessoais no esquema criminoso. O trio foi condenado por estelionato e organização criminosa.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Segundo o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), o homem recebeu pena de 4 anos, 11 meses e 14 dias de reclusão em regime fechado. Já as duas mulheres tiveram a pena fixada em 3 anos, 7 meses e 3 dias de prisão, cada uma, em regime inicial aberto.

Os golpes foram aplicados em 2021. As vítimas são de Criciúma, Araranguá, Cocal do Sul, Tubarão, Capivari de Baixo, Nova Veneza, Forquilhinha, Urussanga e Morro da Fumaça.   

SC é o Estado com mais golpes de estelionato em redes sociais no país; saiba como se proteger

Continua depois da publicidade

A denúncia foi apresentada pelo MPSC, e narra que o homem, usando um perfil falso, abordava as vítimas pelas redes sociais para comprar produtos que elas estavam vendendo. Para fingir que fez o pagamento, ele enviava um comprovante de depósito agendado, mas como se a transação tivesse ocorrido naquela data.

Com o pagamento falso, pedia as vítimas para que entregassem rapidamente os itens. As duas mulheres atuavam como intermediárias: iam buscar o item “comprado” alegando ser parente do “comprador”. Era com elas que os produtos ficavam até que o homem viesse buscá-los, do Rio Grande do Sul.

Condenados devem pagar indenizações

A condenação prevê, além da prisão, o pagamento de indenizações às vítimas, considerando o valor mínimo de cada bem. Ao todo, são R$ 63.680 a serem pagos às 19 vítimas. Entre os produtos, estão computadores, celulares, videogames, eletrodomésticos, eletrônicos, bicicletas, entre outros.    

Novo golpe faz vítimas em supermercados da Grande Florianópolis; entenda

O MPSC pediu para a Justiça que veículos dos golpistas, já apreendidos, sejam confiscados e passem a pertencer ao Estado, para que o pagamento da indenização às vítimas seja possível. O órgão ainda deve recorrer da decisão, pedindo o aumento da pena dos três réus. 

Continua depois da publicidade

Leia mais

Golpe focado em empresários deixa Procon de SC em alerta; como se proteger

Golpe do “falso intermediador” traz prejuízo de R$ 40 mil a vítimas em SC

Golpe do falso aluguel já fez 71 vítimas em Florianópolis neste ano; saiba como evitar

Destaques do NSC Total