nsc

publicidade

Educação

Estudantes se mobilizam pela internet para tentar manter o pré-vestibular de graça da UFSC

Pelo Twitter, Gustavo Kuerten mandou mensagem de apoio ao movimento

18/05/2012 - 07h17 - Atualizada em: 18/05/2012 - 09h58

Compartilhe

Por Redação NSC
Com a hashtag #aprovacolombo, estudantes pedem para que o governo siga com o projeto
Com a hashtag #aprovacolombo, estudantes pedem para que o governo siga com o projeto
(Foto: )

Uma das metas da nova reitora da Universidade Federal de Santa Catarina, Roselane Neckel, é manter o pré-vestibular gratuito. E a preocupação não é só dela. Estudantes estão mobilizados pela causa e já criaram uma conta no Twitter para pedir apoio do governo estadual. Na manhã desta sexta-feira, o perfil na rede social contava com 123 seguidores.

Entre as mensagens postadas pelos estudantes, são frequentes os pedidos para que o governador Raimundo Colombo aprove o convênio com a UFSC.

Veja algumas mensagens:

- Emerson Lima - @RaimundoColombo @SalvePreDaUFSC pois não há desenvolvimento sem educação de qualidade acessível a todos #AprovaColombo

- Samara Silva -Ensino com qualidade e gratuito só o @prevestufsc tem @RaimundoColombo #APROVACOLOMBO

- Ana Hert - Preparação para o vestibular é indispensável para a educação pública. #APROVACOLOMBO e @SalvePreDaUFSC antes que seja tarde

- Jéssica Cardozo - lembrem-se: UMA ANDORINHA SÓ NÃO FAZ VERÃO! Todos juntos em prol do #APROVACOLOMBO @RaimundoColombo

E entre os apoiadores, o movimento no Twitter ganhou também a participação de Gustavo Kuerten.

"Movimento @SalvePreDaUFSC, mta gente precisa dessa preparação, parece-me uma boa iniciativa em pró da manutenção!! #Apoio", escreveu Guga.

Realizado anualmente, o primeiro semestre do pré-vestibular de graça já foi perdido. Agora, a tentativa da UFSC é tentar manter a parceria no próximo semestre.

Desde 2008 o projeto contava com o apoio da Secretaria de Estado da Educação e atendeu mais de 5 mil alunos exclusivamente de colégios públicos.

- O governo estadual não quer dar continuidade ao projeto de inclusão social dos cursinhos espalhados por SC, que possibilita estudantes sem condições, inclusive econômicas, de ingressar na UFSC. Não podemos garantir nada enquanto não resolvermos essa parceria - lamenta a reitora Roselane, que afirma ter entre suas metas a inclusão de todas as classes sociais.

Uma das prioridades da reitora é dialogar com o governo estadual, que aplicava R$ 3 milhões por ano no projeto. Além do investimento, Roselane observa que a Secretaria de Educação também apoiava com a infraestrutura das escolas para a realização do curso. Em 2011, a ação foi realizada em 29 cidades, com 31 unidades de ensino e mais de 3,1 mil alunos.

Nos vestibulares para 2012, o Pré-Vestibular da UFSC aprovou 930 dos 1,2 mil concorrentes de escolas públicas que prestaram provas nas instituições públicas de Santa Catarina. O número representou 75% dos ingressos. Na Universidade Federal, das 889 vagas, 641 estudantes vieram do cursinho promovido pelo convênio.

Conforme o secretário de Estado da Educação, Eduardo Deschamps, o governo não participará do convênio no primeiro semestre, pois precisou reorganizar o investimento da pasta por causa dos reajustes da folha de pagamento dos professores. Também citou os gastos na infraestrutura das escolas.

Para tentar manter o projeto, estão previstas negociações envolvendo a UFSC e a Secretaria de Estado da Fazenda.

Deixe seu comentário:

publicidade