nsc
santa

Futebol

Everton Siemann: O quebra-cabeça do Metrô

27/05/2016 - 04h02

Compartilhe

Por Redação NSC

Montar um elenco de futebol é como montar um quebra-cabeça: exige planejamento e visão para encaixar as peças. No mundo da bola, há outro fator preponderante: dinheiro. E quando não se tem este último item em abundância, é preciso ter paciência. Com 15 dias para mandar um time a campo para a estreia na Série D do Brasileiro, a diretoria do Metropolitano se vê na obrigação de acelerar todo esse processo.

:: Leia mais notícias sobre o Metropolitano

Dos atletas que defenderam o time no Catarinense, três ainda têm contrato com o clube: os zagueiros Alexandre Carvalho e Ricardo Lima mais o lateral-esquerdo Juninho. Os demais jogadores do grupo, que deve ter 25 nomes, virão do Sub-20 do Metrô e de clubes parceiros.

O presidente Pedro Nascimento e seus pares negociam o empréstimo de jogadores que não têm sido aproveitados em clubes como Chapecoense, Criciúma, Figueirense e Atlético-PR. Todos devem desembarcar em Blumenau nos próximos dias com salários pagos pelos times de origem. Para quem esteve perto de fechar as portas há algumas semanas, essa é a maneira mais rápida e eficaz de montar um elenco, em especial quando não se tem tempo e muito menos dinheiro para contratar.

:: Leia mais notícias do colunista Everton Siemann

Assim como no Campeonato Catarinense, o Metrô da Série D deste ano é uma incógnita. Recheado de apostas, o time irá a campo na expectativa de surpreender. Esperemos e vejamos.

Colunistas