nsc
    dc

    Segurança

    Exército define modelos de armas liberadas após decreto de Bolsonaro; veja a lista

    Fuzis seguem restritos às forças de segurança, mas pistolas automáticas .45 foram liberadas, por exemplo

    15/08/2019 - 20h51 - Atualizada em: 15/08/2019 - 21h42

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    Agora, é possível importar armas para uso pessoal
    Agora, é possível importar armas para uso pessoal
    (Foto: )

    O Diário Oficial da União desta quinta-feira (15) trouxe na edição uma portaria do Exército Brasileiro, em que são definidos os modelos de armas liberados para o comércio. O texto é baseado em um decreto do presidente Jair Bolsonaro (PSL), publicado em junho deste ano, que flexibilizava o porte e a posse de armas.

    No texto, o chefe do Executivo determinava um prazo para que os militares definissem os armamentos que poderiam ser vendidos.

    Entre as novidades está a liberação de pistolas automáticas de calibre 45 e .357. Até então, essas armas eram permitidas apenas para forças de segurança.

    Agora, qualquer pessoa poderá se habilitar e adquirir essas armas, desde que siga os procedimentos previstos em lei.

    Por outro lado, o Exército manteve a proibição da venda de fuzis, como os de calibre 7.62, um dos mais populares do mercado. De acordo com a portaria, essas armas seguem sendo de uso exclusivo de forças de segurança.

    Veja abaixo algumas das armas liberadas e proibidas

    Liberadas

    Pistolas

    . 40 Smith &Wesson

    . 45 Automatic

    . 45 Colt

    . 45 Glock pistola automática

    . 45 Winchester Magnum

    . 357 Magnum

    Uso restrito

    Fuzis

    . 5.56x45 mm

    . 7.62x51 mm

    . 12.7x99 mm

    Confira a lista completa no Diário Oficial da União.

    Polêmica na liberação

    Em maio deste ano, Bolsonaro emitiu um primeiro decreto, em que liberava o porte de armas para várias categorias profissionais, além de afrouxar as regras para a posse dos armamentos. Por causa da polêmica envolvendo o tema, o presidente acabou voltando atrás e revogou o texto.

    Em junho, Bolsonaro editou novos decretos e prometeu enviar ao Congresso um projeto de lei para regularizar outras questões envolvendo o tema. A portaria do Exército é baseada neste texto. Além de ampliar os calibres disponíveis no mercado, os militares, com base na determinação presidencial, definiram quais armas podem ser importadas.

    Leia as últimas notícias no NSC Total

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas