nsc
    nsc

    Saúde

    Falando de Sexo: como tratar a gonorreia 

    Colunistas Lúcia Pesca e Andréa Alves tiram dúvidas de leitores   

    03/03/2017 - 10h34

    Compartilhe

    Por Redação NSC

    *Bom dia, doutoras! Gosto muito da coluna de vocês. Tento ler sempre, mas acho que falam pouco sobre DSTs. Eu queria saber mais sobre a gonorreia. Andei transando sem preservativo e sei que a mulher com quem eu fiz sexo também transa com outras pessoas. Inclusive, um cara com quem ela transou me disse que teve isso aí. Então, me ajudem, estou com medo de estar com essa doença!

    (Foto: )

    Amigo, já que sempre lê a nossa coluna, deveria seguir nossas orientações! Falamos muito aqui que, para o sexo ser seguro e saudável, deve-se usar preservativo! Mas vamos lá: a gonorreia é uma doença sexualmente transmissível (DST) que infecta a uretra, canal que liga a bexiga ao meio externo.

    Nos homens, em geral, provoca sintomas aparentes como secreção purulenta e ardência. Mas, nas mulheres, pode ser assintomática. Às vezes, os indícios da doença aparecem 24 horas após a relação de risco. Você deve procurar um médico. O diagnóstico é feito através de um exame de laboratório. O resultado sai em apenas 15 minutos e é importante para definir o agente da doença. O tratamento é simples, barato e está disponível, gratuitamente, na maioria dos postos de saúde.

    Riscos

    Se não tratada, a gonorreia pode atingir vários órgãos. Nos homens, a infecção alcança o testículo e pode causar infertilidade. Nas mulheres, chega ao útero, às trompas e aos ovários e provoca um processo inflamatório que, além da infertilidade, é responsável por uma complicação grave que é a doença inflamatória da pélvis. Use camisinha em todas as relações sexuais. Essa é a única forma de evitar o contágio pela bactéria da gonorreia.

    Leia mais na coluna Falando de Sexo

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas