nsc
    hora_de_sc

    Falando de Sexo

    Sinais e cuidados necessários com a herpes genital

    Colunistas Lúcia Pesca e Andréa Alves tiram dúvidas de leitores              

    30/08/2019 - 07h55 - Atualizada em: 27/10/2020 - 13h18

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação Hora
    Herpes genital
    Herpes pode ser contraída mesmo que não haja ferida
    (Foto: )

    Pergunta do leitor:

    "Posso contrair herpes genital durante o sexo sem camisinha, mesmo que, no momento da relação, a pessoa não esteja com a ferida aberta?"

    Respostas das especialistas:

    Há risco de contaminação mesmo sem feridas. O vírus do herpes oral ou do genital pode ser passado mesmo se a pessoa não tem sintomas nem sinais de infecção. A principal diferença entre esses dois tipos de herpes é o local de manifestação no corpo. No oral, os sinais se concentram na região da boca. No genital, o foco são os órgãos sexuais.

    Tenha em mente que muitos indivíduos têm herpes genital, durante anos, sem saber. O que leva algumas pessoas a terem mais surtos dessa condição do que outras são fatores como: estresse, dieta desequilibrada, alterações hormonais e queda na imunidade, entre outros.

    Os sintomas do surto são formigamento, queimação, coceira, dormência, sensibilidade ou dor onde as bolhas vão aparecer. Os indícios clássicos do herpes genital são pequenas erupções cheias de líquido. Elas estouram, gerando feridas dolorosas, que podem aparecer quatro a sete dias após a contaminação.

    A doença se pega no contato direto com a ferida do herpes de alguém, pelo beijo, pelo sexo sem proteção, mas também no banheiro, pela roupa ou até pelo ar, no caso do herpes-zóster, que é a reativação do vírus da catapora quando há uma baixa do sistema imunológico.

    Não existe cura para o herpes, mas o tratamento pode ajudar a reduzir e prevenir surtos, além de diminuir o risco de transmissão.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas