nsc
dc

Alerta

Falta de leitos de UTI pediátricos afeta famílias em SC: "Fiquei desesperada"

Nesta quinta-feira (12), Estado tinha apenas quatro leitos para atender crianças na rede pública de saúde

13/05/2022 - 05h00

Compartilhe

Luana
Por Luana Amorim
Carolina
Por Carolina Fernandes
SC tinha apenas um leito neonatal disponível nesta quinta-feira (12)
SC tinha apenas um leito neonatal disponível nesta quinta-feira (12)
(Foto: )

A falta de leitos de UTIs para o atendimento de crianças tem causado preocupação de pais em Santa Catarina. Só nesta quinta-feira (12), por exemplo, o Estado tinha apenas um leito neonatal disponível na rede pública, de acordo com o Painel de Leitos da Secretaria de Estado da Saúde (SES). 

Receba as principais notícias de Santa Catarina pelo Whatsapp

Entre os afetados com essa falta de leitos está o filho da estudante Renata Silva. Na segunda-feira (2), a criança apresentou sintomas como tosse e dificuldade para respirar. Como o quadro de saúde piorou, ele foi encaminhado ao Hospital Universitário, em Florianópolis e, depois, para a Unidade de Pronto Atendimento Sul, onde foi diagnosticado com bronquiolite. 

Mas, com a piora do quadro, a criança teve uma inflamação aguda das ramificações que conduzem o ar dentro dos pulmões. Por conta disso, ele precisaria ser internado na UTI, para acompanhamento. 

— No segundo dia, ele já estava pior e corremos pra emergência do Hospital Universitário, onde me falaram que ele precisava de UTI com urgência, mas só tinha vaga no dia seguinte. Fiquei desesperada — relata. 

Ainda segundo a estudante, como não havia vaga de UTI de isolamento, o filho foi encaminhado para um leito neonatal do Hospital Universitário, 

— Eles falaram que iam expandir [as chances de vaga] para todos os hospitais da região, para ver se conseguiamos, porque o [hospital] infantil estava negando a vaga, já que ainda não se tinha o resultado do exame PCR. Foi ai que eles levaram ao neonatal — explica. 

A respeito do teste, o secretário-adjunto de Saúde, Alexandre Lencina Fagundes, explica que a pandemia da Covid-19 afetou os protocolos das UTIs e que é necessário o teste antes do encaminhamento para as UTIs. 

— Esse exame normalmente demora um dia, ou dois dias. Claro que talvez num período de final de semana, nós temos uma demora maior, mas não temos demora para a liberação desse exame, principalmente falando de Covid-19 — pontua. 

SC beira 100% de ocupação nos leitos infantis 

Nesta quinta-feira (12), Santa Catarina apresentava um cenário preocupante em relação aos leitos de UTI destinados para crianças. No neonatal, o Estado tinha uma taxa de ocupação de 97%, com apneas uma vaga disponível em Joinville, no Norte do Estado. 

Já em relação aos pediátricos, a taxa é de 96,84%, com três vagas disponíveis: uma em Joinville e duas em Tubarão. Por conta disso, o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), por meio da 10º Promotoria de Justiça da Capital, instaurou um inquérito para apurar a situação. 

Segundo o secretário-adjunto Alexandre Lencina Fagundes, as doenças respiratórias têm relação direta com a capacidade dos hospitais. 

— É uma época sazonal onde nós temos um impacto das doenças respiratórias. E isso de certa forma impacta o serviço — pontua. 

A SES informou, em nota na terça-feira (12), que a Central de Regulação de Internação Hospitalar faz a busca ativa dos leitos sempre que há o pedido da unidade hospitalar. Além disso, o governo tem trabalhado, em conjunto com o Ministério da Saúde, para ampliar a oferta em todo o Estado.

Por fim, a secretaria salienta que também há o incentivo ao desenvolvimento da Assistência Hospitalar, por meio de convênios de saúde e adesão da Política Hospitalar Catarinense (PHC), que destina recursos às unidades hospitalares.

Leia também: 

Com sobrecarga, Hospital Infantil de Joinville faz “cobrança” às redes municipais

SC registra segundo caso suspeito de hepatite misteriosa em crianças

Justiça determina que criança seja indenizada em SC após erro em atendimento médico

Colunistas