nsc
Ouça ao vivo

publicidade

Série B

Fellipe Mateus vê ano de aprendizado no Figueirense e revela ansiedade pela manutenção na Série B

Furacão se aproxima da permanência na segundona em temporada marcada por dificuldades de gestão e W.O diante do Cuiabá, adversário deste domingo

17/11/2019 - 16h38

Compartilhe

Kadu
Por Kadu Reis
Fellipe Mateus fala sobre a temporada do Figueirense em entrevista à CBN Diário
Fellipe Mateus fala sobre a temporada do Figueirense em entrevista à CBN Diário
(Foto: )

Fora da zona de rebaixamento após 14 rodadas, o Figueirense chega à parte final da Série B dependendo apenas de si para garantir a permanência. Cenário improvável em uma temporada marcada pela saída da empresa Elephant, que não apresentou condições de manter o clube em funcionamento. Os jogadores alvinegros não entraram em campo contra o Cuiabá no primeiro turno em protesto, mas enfrentam a equipe neste domingo em busca da manutenção na segundona.

— Foi o momento mais difícil da carreira. Quando criança sonhava em ser jogador de futebol, fazer o que amamos, ajudar a família. Foi um momento tenso. Clube e jogadores optaram por isso para que todos olhassem para nós. Não só pelos jogadores, mas por todos os funcionários e pessoas que não mereciam aquilo. Hoje já nem tocamos mais no assunto. Agora é dar continuidade na nossa permanência — afirma o meia Fellipe Mateus, que falou sobre o caso em entrevista à CBN Diário.

— Não teve a parte humana, não havia diálogo. Era sempre imposto, sem uma conversa. A gente fez o que acredito qualquer ser humano comum faria naquele momento difícil. Falar de fora é uma coisa, não se tem a noção do que está se passando dentro. Serviu como um aprendizado e hoje o momento que estamos vivendo é de ter bastante foco para conseguir reverter toda a situação — garante o jogador.

Entrevista com Fellipe Mateus foi realizada no CFT do Cambirela
Entrevista com Fellipe Mateus foi realizada no CFT do Cambirela
(Foto: )

O foco citado por Fellipe Mateus estava em outros assuntos há meses atrás. No período Elephant, sem salários e condições de trabalho, colaboradores do clube precisavam, além de suas funções, se preocupar com a falta de itens básicos como remédios, plano de saúde, transporte e alimentação. A mudança na gestão se reflete na invencibilidade da equipe, que deixou a lanterna e chegou ao 16º lugar da Série B.

— Quando temos um convite para vir a um clube deste tamanho já pensamos no acesso. Fomos prejudicados e ainda hoje de certa forma estamos colhendo tudo o que foi feito de gestão. Chegamos nas últimas rodadas com chances reais de permanecer. Para um clube como o Figueirense é pouco, mas é como se fosse um título para nós por tudo que aconteceu. A gente fica ansioso, não vê a hora de voltar a jogar para conseguir garantir 100% — comenta Fellipe Mateus.

Ouça a entrevista com Fellipe Mateus:

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Esportes

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade