nsc
dc

É campeão

Figueirense vence o Brusque e é campeão da Recopa

Rafael Marques marca o gol do 1 a 0 que dá o título ao Figueira no Scarpelli 

04/07/2019 - 19h56 - Atualizada em: 04/07/2019 - 20h59

Compartilhe

João Lucas
Por João Lucas Cardoso
Figueirense leva a melhor sobre Brusque e fatura a Recopa
Figueirense leva a melhor sobre Brusque e fatura a Recopa
(Foto: )

O Figueirense é o campeão da Recopa Catarinense. O time mais vezes campeão do Catarinense venceu o Brusque, um dos que mais venceram a Copa SC. Foram estes títulos, do ano passado, que colocaram os times frente a frente na noite desta quinta-feira, no Orlando Scarpelli. Mas foi Rafael Marques que fez a diferença ao marcar o gol do 1 a 0. Os 2.078 torcedores, viram um Brusque sinuoso no primeiro tempo, mas os donos da casa voltaram ligados do intervalo para faturar a primeira edição oficial da disputa.

As equipes voltam a entrar em campo na semana que vem. O Figueirense retoma a Série B do Campeonato Brasileiro no próximo sábado. Às 11h, enfrenta o América-MG no Independência. Já o Brusque faz jogo decisivo no segunda-feira, às 20h, em casa. No Augusto Bauer, joga a classificação para as quartas de final da Série D diante do Boavista-RJ. O primeiro jogo terminou em 1 a 1.

O jogo

Visitante à vontade, o Brusque começou melhor. Com apenas 10 minutos de partida, a equipe obrigou Denis a trabalhar pelo menos duas vezes. Enquanto isso, o Figueirense tentava o controle no toque de bola. No entanto, ao chegar na intermediária do campo de ataque tinha a bola roubada ou passe ia longe do destino. Aos 14 ocorreu a primeira boa finalização do jogo, e foi dos time do Vale do Itajaí. Thiago Henrique recebeu virada de bola na ponta esquerda, se livrou de Victor Guilherme e mandou cruzado: passou na frente da trave. Nesta batida, o Brusque mandou uma na trave com Júnior Pirambu, mas o impedimento foi marcado - de forma errada por Johnny Barros de Oliveira -, e Thiago Alagoano mandou uma paulada que o goleiro do Figueira espalmou.

Até os 30 minutos, o Figueirense causou algum perigo apenas em duas jogadas, uma em cada lado de campo, em que o cruzamento não terminou em conclusão em gol. Já o Brusque, chegava ao ataque com mais vigor e tinha Thiago Alagoano persistente nos chutes de fora da área. A melhor chance alvinegra foi aos 36, na bola parada. Batido escanteio, o zagueiro Alemão desviou na direção das redes, mas Zé Carlos saltou para dar um soco na bola e afastar. A equipe brusquense foi ao intervalo reclamando de duas penalidades máximas não assinaladas.

O Figueirense voltou mais aceso do descanso. Com apenas cinco minutos, foram duas boas chances seguidas. Betinho bateu de fora da área e a bola desviou. Na batida de escanteio, Alemão cabeceou rente ao poste, para fora. No minuto seguinte, foi a vez do estreante Victor Guilherme tirar mais uma lasca da trave. O lateral-direito arriscou de longe e a redonda passou rente ao travessão. Tempos depois o Figueirense encaixou a jogada que terminou com a redonda dentro do gol. Rafael Marques recebeu no meio, tocou para Popp e correu para a área. O companheiro arrastou a marcação, entrou na área e devolveu. De frente para as redes, o camisa 9 tirou de Zé Carlos antes de comemorar a abertura do placar (ouça a narração na CBN Diário).

Cada time tinha direito a cinco alterações cada. Entre as trocas alvinegras, o técnico Hemerson Maria promoveu outra estreia, a de Andrigo. Aos 30 minutos, ele quase estreou com gol. João Diogo recebeu na área e mandou de lado para encontrar o companheiro livre de marcação. Ele bateu em cima de Zé Carlos. Nos instantes finais, o Figueira tratou de valorizar a posse de bola e prendê-la no campo de ataque. O Brusque teve instantes de pressão a partir dos 38.

FICHA TÉCNICA - Figueirense 1 x 0 Brusque

FIGUEIRENSE

Denis; Victor Guilherme, Alemão, Ruan Renato e Matheus Destro (Julio Rusch); Zé Antônio, Betinho (Patrick), Tony e Fellipe Mateus (Juninho); Willian Popp (Andrigo) e Rafael Marques (João Diogo). Técnico: Hemerson Maria.

BRUSQUE

Zé Carlos; Edílson, Ianson, Magrão e Airton; Gama (Zé Mateus), Thiago Alagoano e Romarinho; Thiago Henrique (Leílson), Jeferson Renan e Júnior Pirambu (Vinícius). Técnico: Waguinho Dias.

GOL: Rafael Marques, aos 17 do segundo tempo (F).

CARTÕES AMARELOS: Victor Guilherme (F). Jefferson Renan (B).

ARBITRAGEM: Fernando Henrique de Medeiros Miranda, auxiliado por Johnny Barros de Oliveira e Bruno Müller.

BORDERÔ: 2.078 torcedores, para uma renda de R$ 16.375.

LOCAL: Orlando Scarpelli.

Colunistas