nsc
    dc

    Prefeitura de Florianópolis apresenta

    Florianópolis tem a segunda menor mortalidade por Covid-19 entre as cidades mais populosas do país

    Resultado é reflexo dos esforços para manter altos níveis de testagem na Capital 

    20/07/2020 - 16h25 - Atualizada em: 23/07/2020 - 11h01

    Compartilhe

    Estúdio
    Por Estúdio NSC
    Florianópolis tem a segunda menor mortalidade por Covid-19 entre as cidades mais populosas do país
    (Foto: )

    Dentre as 50 cidades brasileiras mais populosas do Brasil, Florianópolis é segunda com a menor taxa (1,29%) de mortalidade pela Covid-19, ficando atrás somente de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul (0,87%).

    Além disso, quando falamos na taxa de letalidade, que mede o número de mortes entre os casos confirmados da doença, a capital catarinense é a terceira cidade com a menor taxa (1,29%), ficando atrás apenas dos municípios de Feira de Santana (1,24%), na Bahia e de Campo Grande (0,87%). Os dados são calculados a partir de um projeto, que faz parte da tese de doutorado de um estudante da Universidade de Viçosa, em Minas Gerais, e da Universidad de Zaragoza, na Espanha.

    Segundo Filipe Perini, médico infectologista, entre os fatores que levam a cidade a ter os menores números de mortes pela Covid-19 entre as cidades mais populosas do Brasil estão os altos índices de testagem na capital catarinense.

    — O número de testes feitos no município por milhão de habitantes chega a ser maior do que os números de testagem feitos na Coreia do Sul, país que é considerado referência no assunto — destaca.

    Além disso, as medidas tomadas pela Prefeitura Municipal de Florianópolis priorizam a identificação precoce dos casos de Covid-19 e o isolamento dos infectados, visando diminuir a transmissão da doença e, assim, os números de casos graves. Os cidadãos municipais também têm acesso precoce aos serviços de saúde por meio de serviços como o Alô Saúde Floripa ou nos postos de saúde municipais, presencialmente ou por telefone ou WhatsApp. Cada posto tem seu próprio número de contato e a lista completa você encontra neste link.

    Depois da identificação de um possível caso de Covid-19, pelas equipes das unidades de saúde, há priorização de atendimento para esses casos.

    — A gente estabeleceu fluxos de acesso, atendimento e transporte para pacientes graves. Enquanto o paciente recebe os cuidados, incluindo oxigênio, há o acionamento do SAMU ou de ambulâncias da própria prefeitura para levar essas pessoas para uma urgência ou uma emergência, caso elas tenham sintomas graves — destaca Filipe.

    Leia também: Prefeitura testa 12 mil cidadãos que atuam no setores público e produtivo do município

    Mesmo em casa, os pacientes que testaram positivo para Covid-19 continuam sendo acompanhados durante o isolamento pelos profissionais de saúde. A finalidade é a avaliação de perto, caso surjam sintomas de gravidade e garantir que a pessoa esteja tendo condições para cumprir esse período de forma adequada. Caso isso não seja possível, a Prefeitura disponibiliza quartos de hotéis para que o cidadão possa de fato cumprir o isolamento e evitar a transmissão para outras pessoas.

    Recomendações para a população

    O médico infectologista recomenda que as pessoas não vão a espaços com aglomerações e que o momento é para a diminuição da circulação desnecessária.

    — A recomendação é que nesse momento de maior transmissibilidade em que estamos, só devemos sair de casa para atividades essenciais. Mas, ao mesmo tempo, devemos fazer alguma coisa que nos faça bem, que fortaleça o afeto entre as pessoas que estamos convivendo. O sofrimento psíquico tem se tornado algo muito presente nesse momento de distanciamento físico — explica.

    Apesar dos cuidados, os números de casos são os piores desde o começo da pandemia no estado. Filipe afirma que uso de máscaras e dos hábitos de proteção individual ainda são os grandes aliados da população neste momento.

    — Ainda que estejamos um pouco cansados dessa nova rotina, ainda não podemos relaxar. O esforço que toda a população fez até aqui, certamente contribuiu para que muitas mortes fossem evitadas — acrescenta Filipe.

    Para ele, para reduzir a taxa de transmissibilidade é necessário que a população volte a tomar os cuidados que foram adotados no começo da pandemia e apoiem as medidas de diminuição de atividades e circulação.

    — Enfrentamos o pior momento até então, somente com um esforço coletivo vamos conseguir reduzir a transmissibilidade entre as pessoas, para que então, dentro de algumas semanas, a gente consiga ver os números voltarem a baixar — finaliza.

    Covid-19 em Florianópolis

    De acordo com informações do site Covidometro Floripa, desta sexta-feira (17), Florianópolis possui 3.590 casos confirmados e acumula 37 óbitos. No total, até a quinta-feira (16), 11.356 testes rápidos para Covid-19 e 5.577 testes RT-PCR já haviam sido realizados pela prefeitura de Florianópolis. Os dados atualizados diariamente sobre o acompanhamento da doença em Florianópolis podem ser obtidos pelo site.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Especiais Publicitários

    Colunistas