nsc
an

Saúde

Focos do mosquito da dengue mais que dobraram em 2018 em Joinville

Levantamento atual preocupa a Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde, principalmente com o início do período de calor  

19/11/2018 - 14h03

Compartilhe

Por Redação NSC
Cuidados para evitar os focos devem ser realizados pela comunidade, nas casas e terrenos particulares
Cuidados para evitar os focos devem ser realizados pela comunidade, nas casas e terrenos particulares
(Foto: )

Comparado com levantamento do ano passado, o número de focos do mosquito Aedes aegypti identificados em todos os bairros de Joinville mais que dobrou, passando de 292 em todo ano de 2017 para 610 até novembro deste ano.

— Estamos muito preocupados com essa realidade, principalmente agora que chega o calor com chuva, onde o mosquito se multiplica com maior facilidade — alertou a coordenadora do Serviço de Vigilância Ambiental da Secretaria da Saúde de Joinville, Nicoli dos Anjos.

O Aedes aegypti é responsável pela transmissão da dengue, zika e chikungunya, além da febre amarela urbana. Menor do que os mosquitos comuns, é preto com listras brancas no tronco, na cabeça e nas pernas.

Em levantamento realizado desde janeiro até o dia 19 de novembro, a Secretaria da Saúde constatou que os três bairros mais infestados são o Boa Vista com 234 focos, o Fátima com 93 focos e o Jardim Sofia, com 25.

Além de encontrarem ambiente propício para a multiplicação como água parada em calhas, vasos, pneus, embalagens e valas, a eliminação das áreas infestadas é muito difícil, dependendo quase exclusivamente das pessoas.

— A população precisa se envolver e nos ajudar cuidando do local onde reside — avalia Nicoli dos Anjos.

Pela Secretaria da Saúde, o trabalho de combate é feito diariamente por meio de 40 agentes de saúde que monitoram 1.500 armadilhas instaladas em pontos estratégicos.

— Na medida em que as armadilhas denunciam a presença do mosquito concentramos o trabalho na região e fazemos a conscientização dos moradores e eliminação dos focos de água parada — explica a coordenadora.

Esse trabalho será intensificado a partir de agora, com maior ênfase na Semana Nacional de Combate ao Aedes aegypti entre os dias 26 e 30 de novembro que será promovida pelo Ministério da Saúde em todo país.

Leia mais:

Saiba porque o calor aumenta a proliferação do mosquito da dengue em Joinville

Confira as principais medidas de prevenção e combate ao Aedes aegypti:

- Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água;

- Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

- Manter caixas de água bem fechadas;

- Remover galhos e folhas de calhas;

- Não deixar água acumulada sobre a laje;

- Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

- Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

- Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

- Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

- Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

- Acondicionar pneus em locais cobertos;

- Fazer sempre manutenção de piscinas;

- Tampar ralos;

- Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

- Não deixar água acumulada em tampinhas de garrafas;

- Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

- Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

- Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

- Eliminar sacos plásticos e lixo do quintal.

Colunistas