O fotógrafo e fotojornalista Felipe Ary de Souza, de 25 anos, conhecido como “Terremoto”, foi morto após uma briga na madrugada de quarta-feira (8), na Avenida Ipiranga, na República, na região central de São Paulo. Ele era colaborador do coletivo Jornalistas Livres, que confirmou a morte do rapaz.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Santa Catarina pelo WhatsApp

Policiais militares que atenderam a ocorrência informaram que a namorada de Felipe, de 23 anos, disse que ela e o companheiro tinham ido ao local para uma festa.

Em certo momento, Felipe e outros dois homens teriam discutido, segundo a SSP-SP (Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo).

Os homens teriam se armado com facas, e Felipe foi ferido. Ele foi levado para o Hospital Santa Casa de Misericórdia, mas não resistiu aos ferimentos.

Continua depois da publicidade

Duas facas foram aprendidas para perícia e a motivação da discussão teria sido ciúmes.

Imagens veiculadas pelo Brasil Urgente, da TV Bandeirantes, mostram um homem e uma mulher limpando o chão do corredor e saindo do apartamento onde Felipe teria sido morto.

O caso foi registrado como homicídio pelo 2º Distrito Policial (Bom Retiro). Ninguém foi preso ainda.
O corpo de Felipe foi velado na manhã deste sábado (11) no Cemitério Nova Cachoeirinha, na Vila Nova Cachoeirinha, na zona norte de São Paulo.

O coletivo Jornalistas Livres está fazendo uma vaquinha para ajudar nos custos do velório e sepultamento de Felipe, além de contribuir financeiramente com a mãe do rapaz, que deve ser despejada na próxima semana. A mulher teria tido um princípio de infarto na véspera do crime.

Fotógrafo do coletivo Jornalista Livres Felipe Ary de Souza foi morto a facadas no centro de SP
Fotógrafo do coletivo Jornalista Livres Felipe Ary de Souza foi morto a facadas no centro de SP

*Por Beatriz Gomes, Folhapress.

Continua depois da publicidade

Leia mais:

Jornalista é encontrado morto na praia em Balneário Camboriú e polícia investiga caso

Destaques do NSC Total