nsc
hora_de_sc

PMF

Frio intenso: Assistência Social de Florianópolis intensifica o atendimento à população de rua

Além da Passarela da Cidadania, município disponibiliza hotéis credenciados e outros quatro pontos de abrigo para pessoas em situação de vulnerabilidade

02/07/2021 - 13h42

Compartilhe

Estúdio
Por Estúdio NSC
PMF
População pode auxiliar essa população de duas formas: chamando a Assistência Social ou doando agasalhos na campanha da PMF
(Foto: )

Com as temperaturas muito baixas durante esta semana, a Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF), por meio da Secretaria de Assistência Social, ampliou em 30 vagas a capacidade de leitos das instalações na Passarela da Cidadania (na Passarela do Samba Nego Quirido), com isso, a Capital conta, atualmente, com 230 leitos, além de 50 vagas em hotéis conveniados no município.

> Neve em Santa Catarina: quando acontece

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, a Prefeitura de Florianópolis vem ampliando a sensibilização na abordagem da população de rua e nos atendimentos a essas pessoas, tanto na Passarela da Cidadania quanto nos hotéis durante as semanas de frio intenso.

Hoje são, ao todo, aproximadamente 300 vagas, mas, na medida que for necessário, a PMF deve aumentar esse número, a fim de garantir atendimento a todos que buscarem acolhimento.

Durante a onda de frio na segunda semana de junho, quando os termômetros marcaram dez graus, na madrugada de 14 de junho, 57 cidadãos foram abordados pela força-tarefa da Prefeitura e encaminhadas para acolhimento. A força-tarefa foi composta por equipes da Secretaria de Assistência Social, Guarda Municipal, Superintendência de Gestão de Resíduos da Secretaria Municipal do Meio Ambiente, Ministério Público, Polícia Militar, Polícia Civil, Conseg e Instituto Geral de Perícias. No dia 14, 160 pessoas receberam abrigo e alimentação na Passarela da Cidadania.

Já na última semana do mês, apenas no dia 28, foram abrigadas 72 pessoas em situação de rua a mais que as vagas oferecidas. A forte onda de frio fez com que, além das 200 vagas já ofertadas na Passarela da Cidadania, mais 40 pessoas fossem abrigadas no local. Outras 32 pessoas em situação de rua foram acolhidas em hotel conveniado pela Prefeitura Municipal.

> Fotos: SC tem três dias seguidos de neve pela 1ª vez em duas décadas

A administração municipal conta, ainda, com outros três abrigos para acolher pessoas em situação de vulnerabilidade: a Casa de Acolhimento do Centro, a Casa de Acolhimento do Continente e a Casa de Passagem do Centro. Juntos, os espaços somam 59 vagas.

A solicitação de atendimento a pessoas em situação de rua pode ser feita pelos telefones (48) 99182-6870 ou (48) 99169-3044. Após o registro do pedido, uma equipe do serviço social da PMF faz a abordagem e a sensibilização do cidadão, que é convidado a se abrigar. Nenhum atendimento ou encaminhamento é feito de forma autoritária ou sem o consentimento. As pessoas em situação de rua também podem ser diretamente direcionadas à Passarela. O serviço fica disponível 24 horas por dia, todos os dias.

> Campanha de inverno arrecada cobertores para pessoas em vulnerabilidade social; saiba como ajudar

Em caso de risco, a população pode, ainda, solicitar atendimento da Defesa Civil do Município, pelo telefone 199. O comando da Defesa Civil alerta para a necessidade de se redobrar os cuidados com pessoas enfermas, idosos e crianças, que são mais vulneráveis ao frio, e de manter os animais de estimação em área coberta e aquecida.

Animais de estimação de população em vulnerabilidade também são acolhidos

Além das refeições, da doação de roupas, de kits de higiene e de máscaras e do acompanhamento psicossocial, outro diferencial importante no atendimento à população de rua em Florianópolis é a permissão para que seus companheiros de quatro patas permaneçam na Passarela ao lado de seus tutores durante toda a acolhida. Os animais também recebem, periodicamente, atendimento das equipes da Diretoria de Bem-Estar Animal (Dibea), que monitoram a saúde, doam ração e efetivam o encaminhamento a consultas veterinárias e castração gratuitas, quando necessário.

Cuidados médicos e sanitários no enfrentamento da Covid-19

Durante a pandemia, as pessoas abrigadas na Passarela da Cidadania recebem máscaras de proteção individual e são orientadas a manter distanciamento social e a ter uma rotina de higiene, a fim de evitar a contaminação por coronavírus.

O Consultório na Rua, criado pela Prefeitura Municipal, oferece atendimento e consultas médicas – para prevenção e tratamento – à população mais vulnerável.

Para garantir ainda mais segurança, os casos suspeitos são mantidos em isolamento até que sejam feitos os testes necessários e, em caso de contaminação, a pessoa é encaminhada para quarentena em hotel credenciado pelo município.

Resgate Social traz abordagem mais humana ao atendimento a pessoas em situação de rua

Desde abril de 2020, o Programa Resgate Social, da Prefeitura de Florianópolis, por meio da Secretaria de Assistência Social, em parceria com o Instituto Arco-íris de Direitos Humanos, vem oferecendo atendimento mais humanizado à população em situação de vulnerabilidade da Capital. Somente em 2021, quase 1500 abordagens já foram realizadas.

Além do atendimento emergencial, disponível em regime 24x7, o Resgate Social promove a inserção da população na rede de serviços socioassistenciais (de enfermagem, psicologia, educação e assistência social), como os oferecidos na Passarela da Cidadania.

Para a Secretaria de Assistência Social, o atendimento humanizado e a atenção à manutenção da autonomia do indivíduo são fundamentais para garantir a dignidade e para promover o resgate da cidadania.

Leia também

Prefeitura de Florianópolis é a primeira de SC a instituir auxílio emergencial municipal

Colunistas