nsc

publicidade

Fim do mistério

Homem confessa ter matado ex-mulher a tiros na zona Sul de Joinville

Agatha Christie Mafra, 29 anos, foi morta quando voltava do trabalho no dia 11 de setembro

19/09/2016 - 15h07 - Atualizada em: 19/09/2016 - 16h44

Compartilhe

Por Redação NSC
Rodrigo foi preso enquanto dirigia o Fiat Palio, usado no momento do crime
Rodrigo foi preso enquanto dirigia o Fiat Palio, usado no momento do crime
(Foto: )

O ex-companheiro de Agatha Christie Mafra, 29 anos, confessou, em depoimento na Delegacia de Homicídios, ter sido o autor dos dois disparos que mataram a vítima por volta das 6 horas do último dia 11, no bairro Petrópolis, na zona Sul de Joinville.

Leia as últimas notícias sobre Joinville e região no AN.com.br

Rodrigo José Pereira Lima, 32 anos, foi preso pela Polícia Militar na manhã desta segunda-feira na rua Santa Catarina, quando dirigia um Fiat Palio branco, que foi usado no momento do crime. Ele foi conduzido à delegacia e afirmou ter matado a ex-companheiro porque ela teria o traído enquanto eles ainda mantinham um relacionamento.

O homem é o pai dos dois filhos da vítima e conhecia como era a rotina da ex-companheira. Imagens da câmera de segurança de uma casa próxima ao local do crime mostram ele seguindo Agatha, depois passando pela vítima e parando o carro após atravessar uma esquina, onde esperou a mulher.

- Ele disse que parou o carro com a intenção de apenas machucar e dar um tiro no joelho dela. Quando ele desceu do carro, já desceu com a arma na mão. Então, ele desceu premeditadamente com a intenção de tirar a vida dela - afirmou o delegado Dirceu Silveira Júnior.

Segundo o delegado, a motivação de traição não confere com aquilo que foi investigado. Ele acredita que Rodrigo matou a ex-companheira porque estava inconformado com a separação. Silveira ressalta que o homem tem um histórico registrado em boletins de ocorrência de várias agressões contra Agatha.

Em depoimento, o homem afirmou que se desfez da arma logo após cometer o crime e fugiu da cidade. Ele admitiu que comprou a arma cerca de um mês antes do homicídio. Os investigadores da Polícia Civil, juntamente com o delegado e Rodrigo, foram até a casa dele durante a tarde para ver se encontram outras provas. No local, havia quatro munições e o cabo da arma usada no crime.

Rodrigo estava representado pela prisão preventiva junto a 1ª Vara Criminal e será encaminhado nesta segunda-feira para o Presídio Regional de Joinville. Ele deverá responder por feminicídio, além de outras qualificadoras.

Ajude a Delegacia de Homicídios

Quem tiver informações ou quiser realizar denúncias para a Delegacia de Homicídios pode ligar para o Disque Denúncias (181) ou enviar mensagens para a página da Delegacia de Homicídios no Facebook. As informações serão mantidas em sigilo.

Deixe seu comentário:

publicidade