nsc
    dc

    Ajuda

    Hospitais do Paraná usam máscaras de PVC para auxiliar no tratamento contra Covid-19

    O equipamento não substitui a ventilação mecânica, mas pode ser usado de forma complementar

    18/03/2021 - 11h26

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação DC
    https://nsctotal.contentools.com/app/s/workspace/8229/content/302343
    Paciente consegue falar e tomar agua usando o equipamento
    (Foto: )

    Hospitais de Curitiba, no Paraná, passaram a usar capacetes respiratórios de PVC para auxiliar no tratamento contra a Covid-19. O equipamento não substitui a ventilação mecânica, mas pode ser usado como uma ferramenta complementar.

    > Clique aqui e receba as principais notícias de Santa Catarina no WhatsApp

    Ao G1, o superintendente do Hospital Vita, o médico Gustavo Schulz, disse que com o uso do capacete mais pessoas podem ser atendidas.

    — O capacete não substitui o ventilador, caso o paciente precise, mas é uma opção a mais no tratamento, o que significa mais pessoas sendo atendidas. Com isso, sobra mais ventiladores para aqueles pacientes que não terão outra chance, que vão precisar ser entubados e ir para ventilação invasiva — destacou Schulz.

    A unidade onde ele trabalha é um dos quatro hospitais da capital paranaense que já usam o equipamento. O capacete, chamado 7Lives – Helmet foi criado durante a pandemia por uma empresa de fora do país e foi adaptado por duas empresas brasileiras, sendo uma delas do Paraná.

    O equipamento permite a oxigenação não invasiva de uma forma mais confortável e durante o uso o paciente consegue falar e até mesmo beber água.

    > Criciúma decreta lockdown voluntário e sem remuneração para servidores da prefeitura

    Em alguns casos de maior gravidade, o capacete não evita que o paciente acabe precisando ser entubado, mas ajuda a retardar esse processo, comenta o médico.

    — Retardando a ventilação mecânica sem prejuízo para o paciente, por horas ou por dias, pode ser o tempo suficiente entre não ter o ventilador disponível e tê-lo. Dessa forma conseguimos atender mais gente ao mesmo tempo.

    *Com informações do G1

    Leia mais:

    Maior lote de vacinas contra a Covid-19 começa a ser distribuído em SC; veja quantidade

    Luiza Trajano pede respostas a cidades de SC para ajudar na vacinação da Covid

    Florianópolis volta atrás e permite permanência em praias até as 18h

    Colunistas