publicidade

Blumenau

Hospital Santo Antônio vai abrir sindicância para investigar morte de bebê durante parto

Mulher que deu à luz conta que chegou à unidade bem, mas após uma cesariana de emergência a criança morreu. Ela cobra explicações do hospital

03/01/2019 - 10h37 - Atualizada em: 18/01/2019 - 14h09

Compartilhe

Talita
Por Talita Catie
(Foto: )

Uma sindicância interna irá avaliar os procedimentos adotados por médicos e enfermeiros durante o atendimento a uma gestante no Hospital Santo Antônio, em Blumenau. O objetivo é apurar se houve algum ato fora do protocolo, que tenha contribuído de alguma forma para a morte de um bebê.

Lucélia Schuh Nurmberg, 41 anos, afirma que deu entrada no hospital no dia 26 de dezembro para uma avaliação médica, já que estava no período de ganhar a criança. Ela foi internada e depois de a bolsa amniótica romper, por volta das 22h do dia anterior, a paciente conta que entrou em trabalho de parto induzido.

Oito horas mais tarde, a gestante diz ter sido levada ao centro cirúrgico para uma cesárea de emergência. Segundo a mulher, a criança morreu antes de ir para o quarto.

– Eles não sabiam explicar o que houve, por que ela (a bebê) morreu. Só disseram que tentaram reanimá-la por 15 minutos e mais nada. Só queremos entender e que eles revejam os procedimentos para que isso não aconteça com mais ninguém – desabafa a mulher.

A menina seria a primeira filha de Lucélia. O caso é tratado pelo hospital como uma situação anormal e a expectativa é que se tenha um parecer técnico do que ocorreu em até 20 dias.

– A gente vai levantar todos os dados, tudo o que está no prontuário, conversar com as pessoas envolvidas. Aí o Núcleo de Segurança do Paciente vai avaliar o processo e vamos realmente saber o que aconteceu – diz a gerente geral do hospital, Izabel Cristina Casarin.

Deixe seu comentário:

publicidade