nsc
an

Dança

Ícone da dança clássica, Ana Botafogo apresenta aula especial em Joinville

Ela conversou com o jornal "A Notícia" e deu conselhos para os jovens bailarinos

11/05/2016 - 15h57 - Atualizada em: 11/05/2016 - 15h58

Compartilhe

Por Redação NSC
Estudantes de dança de nível sênior participaram de seleção para conquistar uma vaga na aula
Estudantes de dança de nível sênior participaram de seleção para conquistar uma vaga na aula
(Foto: )

- Boa tarde, meninas! Bem-vindas, escolham seus lugares.

Seria uma aula de balé comum, em uma quarta-feira à tarde normal na vida de 24 adolescentes, se a professora a dizer a frase acima não fosse Ana Botafogo, ícone da dança no Brasil. Eram 14h45 quando a porta da sala da Sociedade Harmonia Lyra, no Centro de Joinville, foi aberta para que as estudantes de balé entrassem para uma aula exclusiva com a primeira bailarina do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

Ela estava na cidade para o Projeto Artes do Palco, que também promoveu o lançamento do livro Ana Botafogo - Nas Pontas dos Pés, à noite, no Shopping Mueller. As meninas, com idades entre 15 e 18 anos e vindas de turmas sênior de dança clássica da Escola Bolshoi, da Escola Municipal de Ballet e da Master Ballet, de Blumenau, foram selecionadas em suas escolas para as 24 vagas que davam o privilégio desta aula especial.

- Eu acho que é a oportunidade das bailarininhas terem contato com uma bailarina profissional que fez carreira aqui (no Brasil). Acho que, sobretudo, a minha presença vai servir de estímulo, porque não vou falar nada que os professores delas já não falaram _ afirmou Ana, pouco antes de dar início à aula.

Pelo menos 35 anos separam a estrela do balé das alunas. Ana começou a carreira no fim dos anos 1970, depois de passar a infância e a adolescência estudando balé. Ao escolher uma profissão, a dança não foi a primeira opção: apesar da paixão pela arte, ela escolheu a Faculdade de Letras e fez em um intercâmbio na França, onde acabou selecionada pelo Ballet National de Marseille. Por isso, a pressão que boa parte dos jovens vivem ao escolher esta profissão ainda na adolescência não chegou a influenciá-la.

- Eu queria muito, mas achava que era um sonho distante. Além disso, estudei em uma academia particular, que tem um nível de exigência diferente. Em compensação, vivi essa pressão o resto da vida, porque balé é pressão, é exigência. Você não tem uma vida fácil, tem uma vida de cobranças - avisa Ana.

Confira mais notícias sobre cultura, eventos, espetáculos e shows em Joinville

As qualidades que se destacam na formação

Disciplina, foco e persistência para uma eterna busca. Essas são as qualidades que a bailarina destaca para desenvolvimento de uma profissional da dança. Ainda no início da carreira, ao conquistar o sonhado posto de integrante do Ballet do Theatro Municipal do Rio, Ana decidiu deixá-lo para participar da companhia Jovem do Ballet do Teatro Guaíra.

Foi um momento importante, de desenvolvimento, que garantiu a ela a maturidade para depois retornar para a mais importante companhia de balé do Brasil, onde viveria a maior parte de sua carreira e onde, atualmente, é diretora-artística ao lado da bailarina Cecilia Kerche.

- Tudo isso me deu respaldo para poder enfrentar a tradição do Theatro Municipal. Eu ainda era muito jovem para compreender o que era uma grande companhia. Este é um conselho que sempre dou às jovens bailarinas: a gente sonha com alguma coisa, mas nem sempre elas acontecem da forma que a gente quer, e nem por isso você pode desanimar - avalia.

Na última vez em que fez as contas, Ana Botafogo somou seis vindas a Joinville para apresentações de dança. A primeira foi em 1987, com o segundo ato de La Bayadère, durante o Festival de Dança. Na última, em 2012, foi a atração da Noite de Abertura do 30º Festival, quando apresentou a coreografia de dança contemporânea Isadora, já se despedindo das peças clássicas que a consagraram.

Agora, vivendo outro momento de uma vida dedicada à dança, no posto de diretora, Ana prepara o espetáculo O Lago dos Cisnes, que estreia no Theatro Municipal do Rio de Janeiro em 10 de junho.

- É uma nova fase na vida, bem diferente de tudo o que já vivi - garante.

O Projeto Artes do Palco é uma produção de Darling Quadros. O projeto foi contemplado na categoria Mecenato do Sistema Municipal pelo Desenvolvimento da Cultura (Simdec) da Fundação Cultural de Joinville.

Colunistas