nsc
    nsc

    PROFANO

    Igreja é furtada em Palhoça e imagens são alvo de vandalismo

    Santos foram lambuzadas de sangue, o que pode ser considerado crime contra o sentimento religioso

    27/07/2018 - 12h42 - Atualizada em: 27/07/2018 - 14h56

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Imagens de santos foram lambuzados de sangue
    Imagens de santos foram lambuzados de sangue
    (Foto: )

    Bandidos furtaram na madrugada desta sexta-feira (27) a Capela de Nossa Senhora do Parto, no Centro de Palhoça, na Grande Florianópolis. Eles levaram o sistema de som da igreja - amplificadores, microfones e a mesa de som. Também foram furtados o ostensório e o cibório, que são instrumentos litúrgicos que têm certo valor econômico.

    Não bastasse o prejuízo financeiro para a Paróquia Senhor Bom Jesus de Nazaré, a que pertence a capela, os criminosos também vandalizaram o local. Para entrar no prédio, eles quebraram as vidraças. Segundo a polícia, um dos bandidos se cortou com o vidro e lambuzou de sangue imagens de santos. Também riscaram as paredes, violaram o sacrário e jogaram objetos religiosos, como as hóstias, pelo chão.

    Além de furto e invasão de propriedade, os bandidos violaram também o artigo 208 do Código Penal, que trata dos crimes contra o sentimento religioso. A Lei prevê prisão de até um ano para quem "vilipendiar (violar) publicamente ato ou objeto de culto religioso".

    Conforme o padre Leandro José Rech, da paróquia Senhor Bom Jesus de Nazaré, o crime chocou os moradores do Centro de Palhoça.

    — Profanaram a igreja! Isso mexe muito com a comunidade. Quando eu cheguei na igreja, havia senhoras estavam chorando. Mas também tem um aspecto afetivo. É uma igreja antiga, e os que moram na região são pessoas antigas que tem um carinho com a nossa igrejinha da praça.

    O religioso informou que o arcebispo de Florianópolis determinou o fechamento da igreja por tempo indeterminado. Numa data ainda a confirmar será feita uma missa em desagravo pela profanação feita na igreja.

    — É preocupante porque gera uma insegurança em nós, até na hora de celebrar uma missa pode entrar alguém — confessa o padre.

    O caso foi registrado na Delegacia de Polícia da Comarca de Palhoça. Conforme a DP, a igreja não tem câmaras nem sistema de segurança. Por isso, ainda não há informações sobre suspeitos. A capela irá passar por uma perícia.

    (Foto: )

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas