O incêndio que atinge uma distribuidora de combustíveis em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, chegou ao terceiro dia nesta quarta-feira (15) e já dura mais de 48 horas. O Corpo de Bombeiros da região combate às chamas desde às 6h30 de segunda-feira (13).

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

Por volta das 19h30 de terça-feira (14), na última atualização da situação do incêndio, os bombeiros informaram que a intensidade do fogo se mantinha. Um dos quatro tanques de combustível afetados pelo incêndio seguia em chamas. No total, a empresa possui 13 tanques, com 1,8 milhão de litros de líquido inflamável.

A situação ocorre em uma empresa localizada no Distrito Marechal Borman, área afastada do centro de Chapecó, que fica às margens da SC-480 e dá acesso ao Rio Grande do Sul. Não houve feridos. 

Em nota, a Maxul Distribuidora de Combustíveis Ltda informou que a base de abastecimento na cidade onde ocorre o incêndio está suspenso por tempo indeterminado. A companhia não deu detalhes sobre o que aconteceu, mas disse que disponibilizou frete para o carregamento da substância nas filiais do Rio Grande do Sul e no Litoral Norte catarinense.

Continua depois da publicidade

Incêndio em depósito de combustíveis de Chapecó pode contaminar solo e água

Confira fotos do incêndio

Entenda o caso

O caso ocorreu por volta das 6h30, em um depósito localizado no Distrito Marechal Bormann. De acordo com as primeiras informações, coletadas pela NSC TV, houve explosões no local. Chamas estavam altas e a fumaça se espalhou pela região.

Conforme a Polícia Militar Rodoviária (PMRv), a suspeita é de que o incêndio tenha iniciado em uma bomba de abastecimento. No entanto, as causas ainda não foram identificadas.

Funcionários relataram que não havia pessoas no local no momento em que as chamas iniciaram. A empresa é uma distribuidora de combustíveis, com capacidade para armazenar 15 milhões de litros.

Continua depois da publicidade

Segundo os bombeiros, o calor é intenso nas células onde ocorre o incêndio. Por conta disso, equipes atuam no resfriamento dos tanques, principalmente naqueles que ainda não foram atingidos. Para o combate, é usada uma água com espuma, mas que não atende a demanda necessária para a extinção no momento. Cerca de 40 bombeiros e 20 caminhões trabalham no local.

Confira o vídeo

Destaques do NSC Total