nsc
    an

    Futebol

    JEC começa a fazer mudanças para 2017

    Clube confirmou a saída do técnico Ramon Menezes nesta segunda-feira. Novo gerente de futebol está perto de acerto

    28/11/2016 - 16h31

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Carlos Kila deve assumir a gerência de futebol do JEC
    Carlos Kila deve assumir a gerência de futebol do JEC
    (Foto: )

    A segunda-feira após o rebaixamento para a Série C marcou o início de uma série de mudanças no Joinville. A direção, liderada pelo presidente Jony Stassun, confirmou, em entrevista à Rádio Cultura, a saída do técnico Ramon Menezes. No sábado, o dirigente já adiantava que dificilmente o comandante permaneceria no cargo.

    No Tricolor, o ex-jogador fez 12 partidas. Conseguiu quatro vitórias, quatro empates e quatro derrotas, um aproveitamento de 44%. A missão era livrar a equipe do rebaixamento, fato que não aconteceu. Como o acordo era válido apenas até o fim do ano, a não renovação foi até mais simples para o Joinville.

    Joinville vence o Vila Nova, mas acaba rebaixado para a Série C

    Após queda, Ramon Menezes pede que JEC reveja planejamento

    Dois homens são detidos após briga no Mercado Público Municipal

    Leia as últimas notícias sobre o Joinville Esporte Clube no AN.com.br

    Além de Ramon Menezes, houve a definição da saída de um atleta: o meia Bruno Ribeiro, que veio do Juventude e não estava sendo relacionado nos últimos jogos da temporada.

    Outros 20 jogadores, a exemplo de Bruno Ribeiro, têm contrato até o fim do ano e poderão deixar o Tricolor. O clube até pretendia manter o zagueiro Ligger, o volante Tinga e o atacante Fernando Viana. No entanto, nem o zagueiro nem o atacante permanecerão - eles mesmos desejam a saída. A permanência do volante ainda é uma incógnita.

    O único atleta com renovação praticamente encaminhada é o atacante Aldair. Autor do último gol do Joinville na Série B, o jogador, revelado pela base do clube, deve permanecer por mais uma temporada no Joinville.

    As saídas não se limitaram apenas ao departamento de futebol do JEC. Nesta segunda-feira, houve as confirmações dos desligamentos do gerente de marketing, Fernando Kleimmann, que irá para o Figueirense, e do assessor de imprensa, João Lucas Cardoso, que preferiu deixar o clube para buscar outros projetos profissionais.

    Entradas e saídas

    JEC em 2017

    Contrato até o fim do ano

    Goleiro: Samuel Pires.

    Laterais: Everton Silva, Reginaldo, Robertinho e Fernandinho.

    Zagueiros: Rafael Donato e Jaime.

    Volantes: Diones, Tinga, Bertotto, Paulinho Dias.

    Meias: Thomás, Carlos Alberto e Bruno Farias.

    Atacantes: Erick Luís, Claudinho, Jael, Heliardo, William Barbio e Giva.

    Não vão renovar: Ligger e Fernando Viana.

    Já renovou: Aldair

    Tem contrato com o clube

    Goleiro: Jhonatan.

    Lateral: Diego.

    Zagueiro: Danrlei.

    Volantes: Kadu e Naldo.

    Meia: Juninho.

    Novo gerente perto de acerto

    Carlos Kila, 58 anos, natural de Porto Alegre (RS) está perto de ser confirmado como novo gerente de futebol do JEC. Na noite de segunda, em entrevista à reportagem de "A Notícia", ele revelou que poucos detalhes faltam para que o acerto seja anunciado. Na verdade, segundo Kila, um encontro na quarta ou na quinta-feira, selará o acordo.

    - Há uma vontade minha e da direção do Joinville, através do presidente Jony (Stassun) de fecharmos. Falta pouco. Estou aguardando apenas uma viagem para Joinville, que deve acontecer na quarta ou na quinta-feira - disse.

    Carlos Kila começou a carreira nas categorias de base do Grêmio, onde trabalhou durante nove anos. Lá, chegou a ser diretor de futebol da base. Depois, rodou pelo País, inclusive por Santa Catarina. Trabalhou no Metropolitano entre 2008 e 2010, depois no Náutico de 2011 a 2012, no Criciúma de 2013 a 2014 e novamente no Náutico em 2014 e 2015.

    Neste ano, esteve no Ceará, onde participou da montagem da equipe que chegou a ser vice-líder da Série B, mas perdeu fôlego na reta final. A saída aconteceu há duas semanas, quando o Vozão já não tinha chance de acesso.

    No JEC, terá a dura missão de trabalhar com um orçamento reduzido. Segundo ele, há consciência da dificuldade, mas é preciso entender melhor a realidade do clube.

    - Este é um dos motivos para eu ir a Joinville. Saber quem fica, quem sai, qual é o plano do clube para 2017. Preciso entender melhor toda a estrutura montada pela direção para 2017 - concluiu.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas