nsc

publicidade

AN Portal

Jefferson Saavedra: Fiscalização dos bombeiros militares atende a pedido do MP em Joinville

Bombeiros militares estão fiscalizando hotéis e pousadas na cidade

17/02/2016 - 07h23

Compartilhe

Por Redação NSC

A fiscalização dos bombeiros militares em hotéis, pousadas, motéis e albergues de Joinville atende a pedido do Ministério Público, solicitação reforçada por meio de ofício de dezembro passado. Em abril de 2014, a 17ª Promotoria (Direitos do Consumidor) abriu inquérito civil sobre a prevenção de incêndios. Desde então, a promotoria recebe avaliações da fiscalização feita pelos bombeiros militares nos estabelecimentos. No ano passado, após consulta do promotor Cristian Stahelin Oliveira, o Centro de Controle da Constitucionalidade apontou a competência dos militares de fiscalizar os estabelecimentos.

O estudo lembrou que a lei catarinense sobre os convênios dos municípios com os voluntários é alvo de ação do STF (ainda em julgamento). Além disso, o poder de polícia aos voluntários seria inconstitucional. Os voluntários alegam que fazem as vistorias, mas não têm poder de polícia - este ao encargo dos municípios. Nesta semana, deve ser realizada reunião na Acij para tentar acordo sobre as fiscalizações dos bombeiros. Também é aguardado posicionamento da Prefeitura sobre o impasse.

Leia as últimas colunas de Jefferson Saavedra

Borrifador

Depois de relatos de empresários em Joinville, Kennedy Nunes se disse apreensivo com a atuação dos bombeiros militares. "Se alguém ligar para os militares para relatar um incêndio, eles vão mandar falar com os voluntários, afinal, os militares não têm um borrifador. Só têm o bloco das taxas", diz.

A "denúncia"

A confusão criada por Levi Rioschi no final de 2015 continua rendendo. Em debate sobre projeto para o sistema funerário, o vereador denunciou ter sido abordado de forma indevida sobre projeto do rotativo. Levi nunca deu detalhes sobre o que aconteceu.

Suspensão

Mas como Levi fez a "denúncia" durante a análise do projeto das funerárias, um empresário solicitou agora apuração se há algum problema na tramitação do projeto. Por isso, a Câmara suspendeu a análise da proposta por 30 dias.

Temor

O autor do projeto sobre funerárias, Maycon Cesar, diz que não vê problema na investigação. Só que alerta sobre o risco de mais projetos receberem suspeitas e serem suspensos.

Na Ajorpeme

Acompanhado de Kennedy Nunes e Darci de Matos, o presidente da Assembleia, Gelson Merisio visitou a Ajorpeme ontem, onde foi recebido pelo presidente Carlos Eduardo de Souza. O impasse envolvendo bombeiros entrou em pauta. Para Merisio, o conflito não faz sentido: os militares fazem um "grande trabalho", assim como os voluntários, mas devem atuar onde há falta de efetivo.

PSDB sem pressa

Confirmado na presidência do PSDB de Joinville, Cromácio da Rosa vê a candidatura própria do partido a prefeito como irreversível, mas adianta que os tucanos não têm pressa para definir o nome. Para Cromácio, a votação perto de 100% na chapa encabeçada por ele mostra a união do partido.

Saída de vereadores

"Todas as decisões serão coletivas, não haverá comportamentos individuais", diz Cromácio, defensor da saída dos vereadores Fabio Dalonso, Maurício Peixer e Roberto Bisoni do PSDB. Na escolha das comissões da Câmara, os três vereadores votaram contra deliberação do partido e podem ser expulsos da sigla.

O que falta

Impasse sobre a desapropriação impede a conclusão da pavimentação da Estrada Rio do Morro, entre Joinville e Araquari. A obra é do governo do Estado, mas a compra de imóveis é atribuição dos municípios - no trecho ainda a ser asfaltado, é com a Araquari. Não há prazo para a retomada dos trabalhos na via que pode ser um novo acesso à BR-280 pela zona Sul de Joinville.

Era sério

No final do ano passado, Paulo Bornhausen (PSB) não estava brincando quando pediu a Udo Döhler que ajudasse a conter o PMDB em Itajaí, onde pretende disputar a Prefeitura. Pois Bornhausen está sendo alvo de ataques dos peemedebistas e está tentando fechar aliança com o PSD.

Contrapartida

Em troca, o PSD pode receber apoio do PSB em Joinville, onde o candidato será Darci de Matos. Hoje, o PSB faz parte do governo Udo - o vice Rodrigo Coelho é do PSB. Patrício Destro tem contado por aí que a maioria dos pré-candidatos do PSB a vereador em Joinville não quer aliança com o PMDB. Hoje tem reunião da executiva estadual do PSB para tratar do assunto.

Oposição

Na passagem por Joinville ontem, Gelson Merisio apontou a disputa pela Prefeitura como "eleição da oposição", com derrota de Udo Döhler. "Ele está debilitado politicamente e não tem como se recuperar", alegou o presidente da Assembleia e do PSD/SC. O candidato de Merisio é Darci de Matos.

Ortodoxia

Merisio qualifica Udo como "ortodoxo" demais para mudar a estratégia e se recuperar. O deputado estadual diz não ter dúvidas do maior envolvimento do governador na eleição de 2016, ao contrário de 2012, quando Raimundo Colombo se manteve distante - até teve proximidade com Udo.

Sem LHS

O motivo de Colombo participar mais da disputa municipal é a ausência de Luiz Henrique: na eleição anterior, o governador não queria confrontos com o peemedebista.

Iam sair

Para o Sindicato dos Servidores de Joinville, a promessa do governo Udo de cortar 100 dos 505 cargos comissionados têm a ver com as eleições: é que muitos ocupantes de postos de confiança precisam se desincompatibilizar para concorrer em outubro e a economia viria dessa obrigação.

Deixe seu comentário:

publicidade