publicidade

Educação
Navegue por

Além dos livros 

Jogos de raciocínio ajudam a desenvolver habilidades cognitivas em alunos de Florianópolis 

Metodologia desenvolvida por uma empresa israelense será aplicada em nove escolas da rede municipal neste ano 

11/03/2019 - 06h15 - Atualizada em: 11/03/2019 - 06h12

Compartilhe

Por Leonardo Thomé
Serão envolvidos 3.988 alunos do ensino fundamental da Capital
(Foto: )

Isadora ainda não sabe, mas o ano letivo na Escola Adotiva Liberato Valentim irá muito além das disciplinas tradicionais em sala de aula. Jogos de dama, lógica, memória, raciocínio, entre tantos outros, farão parte da rotina dela e de mais 3.987 alunos da rede municipal de educação da Capital.

Batizado de MenteInovadora, o programa é desenvolvido por uma empresa israelense e tem o objetivo de estimular capacidades cognitivas e socioemocionais, bem como desenvolver habilidades que prometem influenciar nas notas e serem levadas por toda a vida.

Os jogos estimulam os alunos a experimentar, em um contexto controlado, situações da vida real, contribuindo para conferir significado ao aprendizado e exercitando habilidades como capacidade analítica, equilíbrio emocional e o trabalho em equipe. Professores que participam do programa dizem que os resultados “são sensacionais”, despertando em alunos com dificuldades de aprendizagem “ótimos resultados”.

A diretora da escola Adotiva, Karla Christine Hermans Lima, destaca que entre os diversos benefícios das atividades lúdicas estão o fato de se poder levar os jogos para casa e que “os alunos ficam menos no computador, celular ou vídeo game”.

— A gente tem hoje uma geração que vive quase que exclusivamente com esse acesso ao tablet, celular, vídeo game. Então, com o projeto eles têm a oportunidade de levar um livro para casa, um jogo, e isso facilita o aprendizado, aumenta a criatividade, diversifica as possibilidades e ainda traz também um novo olhar para os professores — avalia Karla.

Professores passaram por capacitação

A diretora Karla conta que o programa, além de atender milhares de alunos, também será útil para os professores da rede pública municipal. Ao todo, 156 docentes foram capacitados para ministrar os trabalhos, que serão realizados em sala de aula e em casa, já que os alunos atendidos pelo programa ganham jogos para exercitarem-se com os pais.

Ela explica que a metodologia do MenteInovadora apresenta-se como um instrumento de formação continuada para os professores, no qual o foco é a qualidade da aprendizagem tendo o professor como um mediador do desenvolvimento do raciocínio lógico dos estudantes.

— A gente vai experimentando novas formas de construir conhecimento, porque eles sentam de outra maneira, se organizam de outra maneira, trabalham muito em grupo, e isso será fundamental na vida deles. Vai ter momentos que eles terão que tomar decisões individuais, em outras em grupo, e todas essas habilidades vão interferir na aprendizagem, com certeza — aponta Karla.

Um pouco da curiosidade aguçada pelos jogos pôde ser vista no rosto da pequena Isadora Witche Machado Pinto, de seis anos, que abre esta reportagem. Ao conferir rapidamente os materiais que logo estarão em definitivo em suas mãos, a aluna da 1ª série da Escola Adotiva Liberato Valentim, na Costeira do Pirajubaé, observou, sorriu e sacramentou: “gosto de jogos assim”.

karla christine lima foto Tiago Ghizoni
Diretora da escola Adotiva, Karla Christine Hermans Lima
(Foto: )

Programa é aposta para melhorar qualidade do ensino

Atualmente, Florianópolis conta com nota 5,8 nos anos iniciais do ensino fundamental no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), criado em 2007 pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Esse número serve para medir a qualidade do aprendizado nacional, resultado que vem crescendo nos últimos anos. O MenteInovadora é uma das iniciativas da Capital catarinense para tornar o ensino ainda mais significativo para os estudantes da região.

Para Sandra Garcia, diretora pedagógica da Mind Lab, o desenvolvimento de capacidades que tornem as crianças e jovens mais preparados para lidar com um mundo complexo e desafiador deve ser contemplado nas escolas.

— O aprendizado em sala de aula deve ir além das disciplinas formais. Temos que preparar as crianças e jovens para serem cidadãos éticos e viverem plenamente em sociedade. Os jogos são ferramentas lúdicas que criam uma transcendência entre o que é aprendido na escola e a vida cotidiana. Desde cedo devemos estimular a cidadania, a empatia e a colaboração — explica.

Objetivo é pedagógico

Coordenadora de projetos da Adotiva, a professora Rafaela Werner Ferreira observa que o material do MenteInovadora vem na contramão de tudo que a escola vinha recebendo para complementar as aulas.

Antes, expõe a educadora, os materiais eram todos ligados à tecnologia. Agora, além de lúdicos, instigantes e com valor pedagógico para a criançada, os jogos são feitos com material de qualidade.

— Quando a gente estava abrindo as caixas, não acreditava, porque o material é todo benfeito, é de muita qualidade. A gente que trabalha em escola pública não estava muito acostumado a receber ferramentas de tanta qualidade para desempenhar as aulas — afirma Rafaela, que cita ainda o valor pedagógico dos jogos, “um escape das aulas expositivas e tradicionais atividades no quadro”.

— E essas experiências são muito válidas, porque eles (alunos) experimentam e os professores sensibilizam o olhar — completa.

rafaela ferreira foto Tiago Ghizoni
Coordenadora de projetos da Adotiva, professora Rafaela Werner Ferreira
(Foto: )

São simuladas situações da vida real

O programa MenteInovadora pertence ao Mind Lab, líder mundial em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias educacionais inovadoras, para o desenvolvimento cognitivo e socioemocional de estudantes da rede pública. A metodologia pioneira que integra jogos de raciocínio às salas de aula é aplicada na Capital catarinense há seis anos, mas em 2019 passará a atender quase 4 mil alunos do ensino fundamental de nove escolas, que terão a capacitação de 156 professores.

O principal diferencial é a integração de jogos de raciocínio à grade de aulas, com a mediação de um professor capacitado pelo programa. Os jogos estimulam os alunos a experimentar em um contexto controlado situações da vida real. Desenvolvida por especialistas israelenses e brasileiros que atuam no campo da psicopedagogia, neurociência e educação, a metodologia já é utilizada em 21 países, como Austrália, China, Espanha, Estados Unidos, Itália, Japão e Reino Unido. E já atendeu milhões de alunos, garantida e apoiada por importantes instituições nacionais e internacionais, como o Instituto Inade e a Universidade Yale.

Fundada em Israel em 1994, a Mind Lab é líder mundial em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias educacionais inovadoras para o aprimoramento de habilidades e competências cognitivas, sociais, emocionais e éticas.

Com a proposta de trabalhar o desenvolvimento humano para uma vida mais harmônica e feliz, as metodologias e aplicações da empresa ampliam os potenciais de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos ao redor do mundo, com a utilização de jogos de raciocínio que provocam a vivência de situações do cotidiano.

tabuleiros foto Tiago Ghizoni
(Foto: )

ESCOLAS PARTICIPANTES

Em 2019, as escolas que vão participar do MenteInovadora em Florianópolis são:

*Adotiva Liberato Valentim, na Costeira do Pirajubaé (402 estudantes);

*Batista Pereira, no Ribeirão da Ilha (503 estudantes);

*Dilma Lúcia dos Santos, na Armação do Pântano do Sul (382 estudantes);

*Donícia Maria da Costa, no Saco Grande (532 estudantes);

*Henrique Veras, na Lagoa da Conceição (327 estudantes);

*José Amaro Cordeiro, no Morro das Pedras (471 estudantes);

*Luiz Cândido da Luz, na Vargem do Bom Jesus (802 estudantes);

*Osvaldo Machado, em Ponta das Canas (453 estudantes);

*Paulo Fontes, em Santo Antônio de Lisboa (116 estudantes).

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação