nsc
    an

    Tecnologia

    Joinvilenses ajudam a criar aplicativo de auxílio no combate à LGBTfobia no País

    TODXS App possibilita que vítimas de violência relacionadas à causa LGBT+ possam denunciar crimes e tenham acesso a leis e normas de proteção, além de organizações representativas ou de apoio

    01/10/2017 - 12h08 - Atualizada em: 01/10/2017 - 12h40

    Compartilhe

    Por Redação NSC

    Duas moradoras de Joinville ajudam a dar vida a um aplicativo criado por jovens brasileiros para auxiliar no combate à LGBTfobia no País. Lançado no segundo semestre deste ano, o TODXS App possibilita que vítimas de violência relacionadas à causa LGBT+ (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transgêneros e outros) possam denunciar os crimes. O dispositivo reúne ainda informações de quase 750 leis e normas de proteção e possibilita que os usuários consultem organizações representativas ou de apoio.

    Confira mais notícias de Joinville e região

    Disponível gratuitamente para Android e IOS, o aplicativo já contabiliza mais de 3,5 mil downloads em quase três meses de lançamento. Entre as funções do sistema está a garantia de preservação da identidade dos usuários que relatam episódios de agressão, além da possibilidade de avaliar o atendimento policial caso a vítima tenha feito Boletim de Ocorrência.

    A designer Rafaela de Souza da Silva, que mora em Joinville há sete meses e ajudou a desenvolver o aplicativo, destaca como motivador para a iniciativa o combate ao crescimento nos casos de violência e a alta nas ações lideradas por partidos conservadores.

    Cresce violência contra LGBTs no país

    Conforme uma pesquisa divulgada pela ONG Grupo Gay da Bahia (GGB), em 2017, até o dia 20 de setembro foram contabilizados 277 homicídios contra LGBTs em território nacional. A média é de 1,05 morte por dia, maior que o recorde anterior de 0,94 — atingido em 2016.

    — Chega uma hora que não conseguimos mais ver essa situação e não fazer nada. O aplicativo é um subsídio importante para a comunidade LGBT+ neste momento do País, em que direitos estão sendo cassados e há aumento no conservadorismo e na violência — aponta Rafaela.

    Outra joinvilense voluntária é a jornalista Patrícia Gaglioti, que resolveu abraçar a temática depois de realizar seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sobre o tema. "Entendi que era possível trabalhar em torno de um propósito maior, que se propõe a ser educativo e a ajudar uma causa importante, levando informações para que a população LGBT+ saiba quais são os seus direitos e quais leis as resguardam", salienta.

    Atualizações no sistema e propósito futuro

    Um dos focos na coleta dos dados pelo TODXS App é possibilitar a elaboração do primeiro Censo LGBT+ do Brasil até o ano de 2019
    Um dos focos na coleta dos dados pelo TODXS App é possibilitar a elaboração do primeiro Censo LGBT+ do Brasil até o ano de 2019
    (Foto: )

    Conforme a startup social TODXS, responsável pelo serviço, uma atualização no sistema ainda neste mês deve aprimorar a busca pelas leis compiladas no sistema. Hoje feita através de palavras chave e tópicos, a procura poderá ser feita por localização. A medida visa facilitar o acesso às leis municipais e estaduais que estejam vigentes na região definida pelo usuário.

    A possibilidade de interação dos usuários com as denúncias, através de comentários, também deverá ser contemplada. No período, deve começar a funcionar também um convênio com a Controladoria Geral da União (CGU), que atua junto ao Ministério Público Federal (MPF) para dar encaminhamento as reclamações.

    Um dos objetivos das medidas é compilar dados que venham a ajudar na luta e no desenvolvimento de ações de inclusão LGBT+ e políticas públicas. A expectativa da organização, formada hoje por 58 jovens, é de impactar até dois milhões de pessoas em risco por meio de iniciativas de proteção e combate à discriminação.

    Outro foco na coleta dos dados pelo TODXS App é possibilitar a elaboração do primeiro Censo LGBT+ do Brasil até 2019.

    'A gente tem que escolher entre seguir o coração ou se esconder', diz Alice

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas