nsc

publicidade

Segurança

Joinville registra queda em homicídios após três anos de recordes

Segundo a Polícia Civil, houve redução de 35% no primeiro semestre do ano em comparação a igual período de 2017. É o menor número desde 2015

04/07/2018 - 05h50

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

Depois de três anos apresentando recordes consecutivos de homicídios, Joinville apresentou redução de 35,1% no número de mortes em 2018, na comparação com o ano passado. De janeiro a junho deste ano, 48 pessoas foram assassinadas na cidade, enquanto no primeiro semestre de 2017 houve 74 casos. É a menor marca registrada desde 2015, quando 57 pessoas foram mortas.

Um dos principais fatores apontados pela Polícia Civil para a diminuição no índice é o trabalho especializado de investigação a esses crimes. Desde a implantação da Delegacia de Homicídios (DH) em Joinville, em 2016, as mortes ocorridas na cidade são apuradas por uma equipe específica para esses delitos.

— À medida que a equipe e os delegados vão se especializando na apuração de determinado tipo de crime, como os homicídios, eles ganham conhecimento mais aprofundado no assunto. Enxergo a especialização como um caminho para que o trabalho da Polícia Civil seja mais eficiente — defende a delegada regional, Tânia Harada.

De acordo com a titular, com essa especialização a delegacia aumentou ano a ano a efetividade na repressão de crimes dessa natureza. Conforme levantamento realizado pela DH, o número de prisões de suspeitos de serem autores dos assassinatos aumentou 28,8% neste primeiro semestre. Até junho de 2017, a polícia fez 45 prisões por homicídios. No mesmo período deste ano, o número passou para 58.

Em uma análise geográfica, a maior incidência dos crimes neste ano ocorreu no bairro Jardim Paraíso, na zona Norte, com 11 casos, seguido do Paranaguamirim, na região Sul, com cinco registros. A maioria das vítimas é de homens e que têm idade entre 19 e 25 anos.

Diferentemente do ano passado, quando além de homicídios foram computados três latrocínios – assalto seguido de morte – neste mesmo período em 2018 não houve registro de crimes desta natureza, somente tentativas. Uma delas ocorreu durante o roubo a uma farmácia, na rua Tuiuti, no bairro Aventureiro, na noite de segunda-feira, no dia 2, quando assaltantes balearam um vigilante.

Segundo a delegada, a diminuição do número de homicídios em Joinville ocorreu a partir de um esforço de toda a área de segurança de uma maneira geral. Ela menciona, por exemplo, maior presença ostensiva nas ruas por parte da Polícia Militar, a realização de barreiras com maior frequência e também mais apreensões de armas no primeiro semestre.

Delegada regional enxerga especialização de delegacias como caminho para mais eficiência no trabalho da Polícia Civil
Delegada regional enxerga especialização de delegacias como caminho para mais eficiência no trabalho da Polícia Civil
(Foto: )

Ligação com tráfico de drogas e com facções

Também de acordo com a titular, boa parte das vítimas e dos suspeitos de crimes tinha ligação com o tráfico de drogas e com organizações criminosas. O balanço da Polícia neste primeiro semestre demonstrou, ainda, que a atuação da delegacia alcançou, além dos executores, os mandantes dos crimes. A delegada explica que dessa forma foi possível desarticular lideranças de organizações criminosas com atuação em Joinville.

— Houve uma diminuição na criminalidade, já que os homicídios estão relacionados a outras práticas criminosas, envolvem organizações, tráfico. Os índices da Secretaria de Segurança apontam uma redução em furtos a comércio e a veículos — cita Tânia

A titular da Regional planeja a implantação de delegacias qualificadas em outros tipos de delitos na cidade, transformando as unidades existentes em bairros em especializadas.

Deixe seu comentário:

publicidade