nsc
    dc

    Puniçaõ

    Jon Jones é suspenso por um ano e afirma: "Respeito muito o processo"

    Campeão interino poderá voltar a lutar em julho de 2017

    08/11/2016 - 06h11 - Atualizada em: 21/06/2019 - 22h20

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Jones ainda terá que cumprir mais oito meses da pena
    Jones ainda terá que cumprir mais oito meses da pena
    (Foto: )

    Ex-campeão linear e atual detentor do título interino dos meio-pesados do UFC, Jon Jones foi suspenso por um ano pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada). A punição foi anunciada nesta segunda-feira.

    Jones foi pego em um exame antidoping prévio ao UFC 200, em julho. Por isso, foi impedido de lutar contra Daniel Cormier na unificação dos cinturões. A pena de um ano é retroativa e, com isso, o americano estará liberado para lutar em julho de 2017.

    Leia mais:

    McGregor diz que é a razão da estreia do UFC em Nova York

    Caju Freitas: derrota afasta Rafael dos Anjos do título

    Michael Bisping descarta enfrentar Ronaldo Jacaré no UFC 206

    Jon Jones foi campeão dos meio-pesados entre março de 2011 e abril de 2015 e fez oito defesas de cinturão, um recorde na categoria. O americano perdeu o cinturão sem ser derrotado — ele foi preso por se envolver em um acidente de trânsito e fugir do local sem prestar socorro.Depois de um ano afastado, voltou a lutar em abril quando venceu Ovince St. Preux e conquistou o cinturão interino.

    O lutador de 29 anos se manifestou sobre a punição e disse respeitar o processo de defesa.

    A suspensão poderia ser de até dois anos. Mas os investigadores concluíram que Jones não agiu de má-fé. O lutador tomou uma pílula para melhora no desempenho sexual que estava contaminada — a punição foi aplicada porque o atleta não verificou se a substância estava dentro dos padrões estabelecidos pela entidade.

    Confira a nota de Jon Jones:

    "Embora eu estivesse esperançoso de um resultado melhor no julgamento da Usada de hoje (segunda-feira), respeito muito o processo no qual eles me permitiram me defender. Eu sempre mantive minha inocência e estou muito feliz que tenha ficado claro que eu não tomei substâncias banidas de maneira intencional. Estou satisfeito que na investigação da Usada eles concluíram que não sou um "trapaceiro do esporte". Ser eximido dessas alegações era muito importante para mim. Eu trabalhei duro dentro e fora do octógono para recuperar minha imagem e minha carreira de lutador e vou pegar esses próximos oito meses para continuar treinando e crescendo como homem e atleta. Obrigado a todos os meus fãs, colegas de equipe, treinadores, patrocinadores e ao UFC pelo contínuo apoio."

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Esportes

    Colunistas