nsc

publicidade

Travessia entre SC e RS

Jovem que morreu após naufrágio no Rio Uruguai estava sem colete salva-vidas e não sabia nadar

Corpo foi encontrado por moradores de Barra do Guarita (RS), após desaparecimento na quarta-feira

09/11/2019 - 14h21 - Atualizada em: 09/11/2019 - 15h02

Compartilhe

Leandro
Por Leandro Lessa
Corpo de jovem que se afogou após naufrágio no Rio Uruguai foi encontrado neste sábado
Corpo de jovem que se afogou após naufrágio no Rio Uruguai foi encontrado neste sábado
(Foto: )

Após um barco virar na noite da última quarta-feira (6) no Rio Uruguai, no trajeto entre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul, as pessoas passaram a utilizar mais um item de segurança imprescindível: o colete salva-vidas. A informação é dos Bombeiros da região. O corpo do jovem de 19 anos, único desaparecido após o naufrágio, foi encontrado na manhã deste sábado (9) sem o equipamento. Detalhe: o rapaz não sabia nadar.

— Como a embarcação é pequena, o principal recurso de segurança é o colete salva-vida. Porém, os próprios estudantes que estavam no barco disseram que ninguém usava o equipamento. Depois do que aconteceu, isso mudou. Se o jovem estivesse com o colete, ele poderia ficar flutuando e tenta alcançar um galho de árvore, ás margens do rio — declarou o capitão Diego Battaglin, do Corpo de Bombeiros de SC, que comandou a equipe de resgate.

Andrei Franchini, natural de Vista Gaúcha (RS), estava na embarcação "Santos II" com outros 13 colegas de uma universidade localizada em Itapiranga, no Extremo-Oeste catarinense, além do piloto. O acidente ocorreu no momento da travessia de volta para o Rio Grande do Sul. O rio estava com correnteza forte e muitas ondulações na água. Mais de 10 pequenos barcos fazem esse trajeto, além de uma balsa para o transporte de veículos.

— Devido às características do rio na noite de quarta-feira (estava bastante alto, com quase 3 metros acima do nível, e muita correnteza), o fluxo de barcos acaba fazendo onda para outra. Em uma pequena embarcação, qualquer movimentação já desestabiliza. Como vários foram para a parte de trás, acabou entrando mais água e ela começou a afundar — relatou o capitão Battaglin.

Ouça as informações:

O jovem foi encontrado flutuando na água por moradores de Barra do Guarita, no Estremo Noroeste gaúcho, por volta de 8h15, distante mais de 1,5 km do ponto do naufrágio. O corpo foi entregue à Polícia Civil do RS. Por volta de 11h, ainda havia duas equipes de resgate que não tinham retornado e não sabiam que o corpo havia sido localizado, devido à dificuldade de comunicação na área onde foram feitas as buscas, de aproximadamente 16 km.

Na quinta-feira, para ajudar nos trabalhos na região, os bombeiros pediram à Usina Hidrelétrica da Foz do Rio Chapecó, em São Carlos (a 100 km do local do acidente) para fechar comportas. O barco acabou sendo localizado no dia seguinte, no Rio Uruguai, em Barra do Guarita (RS), e já foi retirado do local.

Bombeiros de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul, a Marinha do Brasil e as Polícias Civis dos dois estados — inclusive, com apoio de aeronave - auxiliaram nas buscas. A Capitania Fluvial de Porto Alegre (CFPa), ligado à Marinha, abriu um processo administrativo para investigar as causas do naufrágio.

Leia as últimas notícias do NSC Total

​Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC

Deixe seu comentário:

publicidade