nsc
an

publicidade

Decisão

Juiz nega pedido de revogação da prisão do suspeito de matar Gabriella Custódio Silva

Leonardo Nathan Chaves Martins está preso preventivamente desde o início do mês

16/08/2019 - 09h30 - Atualizada em: 16/08/2019 - 13h15

Compartilhe

Redação
Por Redação AN
Gabriella Custódio Silva e Leonardo Natan estariam morando juntos desde abril deste ano
Gabriella Custódio Silva e Leonardo Natan estariam morando juntos desde abril deste ano
(Foto: )

A Justiça negou o pedido de revogação da prisão preventiva de Leonardo Nathan Chaves Martins, suspeito de ter matado a namorada Gabriella Custódio Silva em 23 de julho, em Joinville. Marido da vítima, o jovem foi preso no dia 9 de agosto e confirma ter atirado na esposa, mas diz que o disparo foi acidental.

Na decisão em primeira instância, o juiz Gustavo Henrique Aracheski indeferiu o pedido com a justificativa de que "o argumento de que o disparo acidental não tem como ser validamente enfrentado por ora porque, durante a fuga, a arma de fogo que originou o disparo que deu causa à morte da vítima foi lançada ao mar pelo acusado ou porque quem estava junto a ele".

— O fato do acusado haver se apresentado à autoridade policial [...], a condição de primário, com residência fixa e ocupação lícita nada mais representam do que atributos de todo cidadão que, por si só, não justificam a soltura quando a prisão cautelar se fizer necessária — diz trecho da decisão.

Suspeito da morte de Gabriella Custódio Silva se entregou nesta sexta-feira à polícia de Joinville
Suspeito da morte de Gabriella Custódio Silva se entregou nesta sexta-feira à polícia de Joinville
(Foto: )

O juiz também afirmou que a prisão preventiva não está servindo como antecipação de pena. Segundo Aracheski, "o comportamento do acusado Leonardo logo após o disparo [...] deu causa a um estado de comoção pública que somente fez reforçar a imprescindibilidade dessa medida para acautelar o meio social e, assim, recompor e garantir a ordem pública no curso do processo penal".

Em nota, a defesa de Leonardo informou que foi comunicada da decisão de primeiro grau na última quinta-feira. Diante do indeferimento, a defesa informou que vai protocolar nesta sexta-feira um habeas corpus no Tribunal de Justiça para que a liberdade do cliente seja assegurada. Segundo a defesa, Leonardo possui todos os requisitos legais para responder o processo em liberdade.

Acesse outras notícias sobre Joinville e região no NSC Total

Deixe seu comentário:

publicidade

publicidade

publicidade

publicidade