nsc
dc

Notícia

Jurerê Internacional: a praia que faz jus ao nome

Não apenas pelo público de todos os cantos, mas, também, pela infraestrutura e o luxo do local

10/01/2011 - 12h10 - Atualizada em: 10/01/2011 - 12h25

Compartilhe

Por Redação NSC

Jurerê Internacional, no Norte da Ilha de Santa Catarina, é sinônimo de glamour. Na visão dos frequentadores, empresários, artistas, herdeiros de gerações bem-sucedidas ou filhos de classes em ascensão, é um local ímpar. Os veranistas, a maioria turistas, desconstruíram o perfil de balneário familiar, dando ao balneário caras de um reduto de jovens e adultos sofisticados.

O solo da praia, considerada a queridinha do Brasil, pode ser tocado em 10 minutos depois de deixado o aeroporto de Florianópolis, para quem segue de helicóptero locado e está disposto a desembolsar R$ 370 por passageiro. Bem antes do tempo do que Ferraris e Porsches, despachadas por seus donos em São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, levam nos caminhões-cegonha até desfilarem pelas ruas do balneário.

Jurerê Internacional tem alamedas, shopping a céu aberto, restaurantes, supermercados, ruas largas, câmeras nas avenidas, estação de tratamento de água e de esgoto próprios. Tudo isso para que a brisa faça tremular a Bandeira Azul, conquista pioneira na América do Sul como reconhecimento da Foundation for Enviromental Educations, da Dinamarca. O hasteamento é uma espécie de selo de excelência de garantia e de qualidade em Jurerê Internacional.

Assim segue a vida da praia internacional, considerada a Beverly Hills de Santa Catarina, com suas mansões sem muros e separadas por jardins e gramados. Lugar em que a diária de uma casa pertinho da praia chega a custar a "micharia" de R$ 8 mil.

E onde um cliente pode gastar por noite R$ 20 mil, R$ 30 mil, R$ 40 mil. Para alegria de garçons, que encerram o expediente, diurnos ou noturnos, com R$ 4 mil ou R$ 5 mil de gorjeta.

Ali, contrariando o poeta, o sol pode viver perto da lua. Nem se percebe quando um sai para dar lugar ao outro. Sob o sol radiante, as delícias à beira-mar. Embaixo da luz do luar, baladas estonteantes. Em Jurerê Internacional, a vida segue glamourosa. Seja durante o dia ou na noite.

Até o carro de James Bond está em Jurerê Internacional

Ao olhar para calçada, dá para imaginar que James Bond está em Florianópolis. Um Aston Martin está estacionado. É a marca do carro do agente secreto da rainha inglesa. O gosto refinado do 007 só poderia levá-lo a Jurerê Internacional.

Imaginar que o cenário faz parte de um filme, também é possível. O bairro é coisa de cinema hollywoodiano. Por isso, ali, é natural ver um Camaro parado à frente do Aston Martin.

Acontece que o trivial em Jurerê é tão inusitado para alguns turistas, que eles param para bater foto diante dos carrões cinematográficos.

A cem metros da cena, um Mustang Shelby Cobra, que também já foi usado em Hollywood, no filme 60 Segundos com Nicolas Cage, está na garagem de uma mansão. Já em outra casa, é um Porsche conversível branco que enfeita o quintal.

As casas sem muros de arquitetura moderna e refinada fazem parte da paisagem do lugar, mas poderiam perfeitamente estar em Bervely Hills, assim como as mulheres estilosas que atravessam as ruas da "cidade à parte" em Florianópolis.

Uma senhora - provavelmente arrumadeira - deixa uma das mansões e comenta:

- Só vendo como é dentro, pra acreditar no luxo!

É por essas e outras que a praia virou internacional. Atrai milionários, famosos e os não tão abonados, mas curiosos para ver como é um dia de estrela no glamouroso bairro da Capital.

Mulheres enfeitam a paisagem

Sem passar despercebidas. Assim são as mulheres que circulam por Jurerê Internacional.

A estilista Priscila Paz, 25 anos, é uma delas, e dá alguns toques de como são as musas que entortam os pescoços dos marmanjos nas areias da praia:

- A mulher de Jurerê se faz notada. Ela não é só um corpo bonito - define.

Por isso, os acessórios precisam ser mais chamativos do que o corpo moldado por academia e silicone.

- Um óculos grande tem que compor o look- observa a estilista, que usava um Red Neck.

É olhar para os lados e ver que o ray ban aviador, de armação dourada, é um dos queridinhos das moças. O modelo estava sendo usado por Estela Gavinho, 27 anos, que veio de Rondonópolis (MT) e pela criciumense Mariana Cechinel, 29. Elas também tinham em comum uma taça de champanha nas mãos.

Outro detalhe, que faz a diferença entre as mulheres do balneário internacional, é uma unha bem feita e em dia. Esmaltes com cores hits do verão não podem faltar. Priscila escolheu um tom laranja. Estela e Mônica foram de vermelho.

Homens sarados também se descatacam no cenário

Assim como as mulheres, os homens de Jurerê são bastante vaidosos.

- Os que frequentam a praia também cuidam bastante da aparência corporal - observa Priscila.

À beira-mar, dá para ver os braços torneados e abdômens definidos, como os do paulista Diego Nunes, 34 anos, que há anos passa o verão nas areias da praia de Floripa. Mas não é só dos músculos que eles cuidam. Os moços também gostam de se vestir bem.

Namorado da estilista Priscila, o gestor comercial, Daniel Lima, 34, trabalha no ramo do beachwaer (roupas e acessórios de praia) e também dá algumas dicas para o look masculino em Jurerê Internacional.

- Os homens podem apostar no óculos Carrera, que é um hit desse verão, assim como as sungas largas, com estampa navy e listradas. Aqui não é uma praia de surfistas, mas aqueles que preferem bermudas, com certeza escolhem de alguma marca de surfe - indica o gestor.

Colunistas