nsc
    santa

    Eleições 2018 

    Justiça Eleitoral apreende material irregular de campanha favorável a Haddad em Blumenau

    Mais de 500 panfletos que segundo o MP infringiriam legislação eleitoral foram recolhidos em quatro agências dos Correios

    24/10/2018 - 16h19 - Atualizada em: 24/10/2018 - 16h35

    Compartilhe

    Redação
    Por Redação Santa
    Justiça Eleitoral apreende material irregular de campanha
    Justiça Eleitoral apreende material irregular de campanha
    (Foto: )

    A Justiça Eleitoral apreendeu materiais de campanha favoráveis ao candidato à presidência Fernando Haddad (PT) que estavam sendo distribuídos nas ruas e entregues em residências por meio de mala direta dos Correios em Blumenau.

    A ação atendeu mandado de busca e apreensão assinado pelo juiz eleitoral Sérgio Agenor de Aragão, depois de pedido do Ministério Público. O MP entendeu que o material infringiria a lei eleitoral por não possuir informações como a inscrição do CPF ou CNPJ do responsável pela confecção, contratante e tiragem. O MP recebeu as primeiras informações sobre o caso por meio do Sistema Pardal, destinado a denúncias anônimas de eleitores.

    A apreensão foi feita na tarde desta quarta-feira em quatro agências dos Correios, nos bairros Centro, Vorstadt, Itoupava Norte e Água Verde. Foram feitas buscas também em um endereço no bairro Itoupava Norte onde os panfletos estariam sendo distribuídos em casa, mas nada foi localizado.

    No total, foram recolhidos 540 panfletos que seriam distribuídos por mala direta. As mensagens em folha branca listavam 10 situações em que Haddad teria votado “a favor do povo”, segundo o material, e Jair Bolsonaro, candidato do PSL, teria se posicionado de forma contrária. A assinatura no material era do movimento sindical e dos movimentos sociais de Blumenau e região.

    Contraponto

    A reportagem procurou um dos líderes dos movimentos sindicais e sociais de Blumenau, Sérgio Bernardo, para repercutir o caso, mas ele informou que não tinha informações sobre o assunto, que o movimento sindical não seria o autor do material e que buscaria mais informações a respeito.

    O material foi recolhido e ficará retido pela Justiça Eleitoral, que informou ainda estar investigando os eventuais responsáveis pela produção e distribuição do material.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas