nsc

publicidade

Internet

Justiça Federal determina que seja retirado do ar o site Tudo sobre Todos

Site divulga informações pessoais como endereço, nomes de vizinhos e CPF

30/07/2015 - 11h53

Compartilhe

Por Redação NSC
(Foto: )

A Justiça Federal do Rio Grande do Norte determinou a retirada do ar do site Tudo sobre Todos, que disponibiliza informações pessoais de brasileiros como endereço e CPF. A decisão divulgada nesta quinta-feira é do juiz federal Magnus Augusto Costa Delgado, da 1ª Vara Federal, em liminar concedida à ação apresentada pelo Ministério Público Federal.

O juiz federal determinou que empresas de internet não permitam o acesso ao site até a conclusão do processo. Na decisão, Magnus Augusto Costa registrou que, ao disponibilizar dados pessoais sem autorização dos titulares, o site "viola a Constituição Federal, atingindo-lhe o núcleo dos direitos e garantias individuais, mais especificamente, os direitos à intimidade e à vida privada".

Ministério Público Federal abre inquérito para investigar site "Tudo Sobre Todos"

Liberdade e regulação do ambiente virtual geram embate

Ao acessar o "Tudo sobre Todos" e digitar o nome completo de uma pessoa é possível visualizar de forma gratuita o CEP da residência. Mediante pagamento, ficam disponíveis informações como CPF, endereço, data de nascimento, empresas e sociedades e prováveis redes sociais.

O procurador da República no Rio Grande do Norte, Kleber Martins, que solicitou à Justiça Federal a retirada do site do ar, explica que a legislação brasileira proíbe a divulgação de dados pessoais sem que haja consentimento prévio dos titulares e alertou para o risco desse tipo de informação ser usado por criminosos que cometem golpes.

- Essas informações interessam na realidade às pessoas que praticam golpes como aquelas que colhem dados de terceiros para abrir contas em banco, contrair empréstimos, pedir benefícios à previdência social e deixar o rombo em nome do titular da conta sem que ele sequer saiba disso - disse Kleber Martins em entrevista ao Programa Revista Brasil, da Rádio Nacional.

Cole Stryker: "Expor a identidade de todo mundo não é a resposta"

FaceGlória: a rede social religiosa que quer superar o Facebook

O procurador disse que a decisão da Justiça Federal prevê a retirada imediata do site do ar, mas diz que a efetivação depende do emprego dos recursos tecnológicos.

- Talvez demore um pouco, mas a decisão judicial deve ser cumprida no menor espaço de tempo possível. Acreditamos que nas próximas horas ou próximos dias isso deve ser cumprido - estimou ele.

Kleber Martins disse que os criadores do site ainda não foram identificados, mas ele já estuda incluir na ação final um pedido de condenação por danos morais coletivos.

O Brasil S2 a internet: os 20 anos da rede no país

Leia as últimas notícias

O juiz federal Magnus Augusto Costa Delgado determina que seja solicitada à Suécia a retirada provisória do site que está hospedado naquele país. Solicitou também dados completos das pessoas físicas que criaram e mantém o site, inclusive os números de registro do computador e endereço de e-mail.

*Agência Brasil

Deixe seu comentário:

publicidade