nsc
dc

Notícia

Justiça nega pedido de soltura de Marcos e Rodrigo Schoene em Joinville

Juiz João Marcos Buch destacou que testemunhas têm medo de sofrer represálias

30/09/2011 - 13h53 - Atualizada em: 30/09/2011 - 14h04

Compartilhe

Por Redação NSC

O juiz da 2ª Vara Criminal de Joinville, João Marcos Buch, rejeitou o pedido de revogaçao da prisão preventiva do diretor exonerado da Fundema, Marcos Schoene, e do filho dele, Rodrigo Schoene, na tarde desta sexta-feira. Os pedidos de soltura haviam sido protolocados pelos advogados deles na última quarta-feira.

Ao justificar a manutenção da prisão preventiva de pai e filho, João Marcos Buch destacou que duas testemunhas procuraram o Ministério Público Estadual depois que a investigação veio à tona para reforçar o temor de que pudessem sofrer represálias.

O argumento de que Marcos Schoene não poderia atrapalhar as investigações por já ter sido exonerado também não convenceu o juiz.

-É bem verdade que o investigado Marcos não mais possui ingerência direta no órgão municipal. Todavia, como já registrado, a proximidade com as provas e testemunhas, na forma que as denúncias vêm sendo apuradas, trazem a este juízo a convicção de que a prisão é medida necessária neste momento-, escreveu.

Marcos Schoene está preso desde a última terça na Penitenciária Industrial de Joinville, quando policiais federais cumpriram mandados de prisão, busca e apreensão na Operação Simbiose. Rodrigo Schoene foi detido no mesmo dia e permanece preso no 8º Batalhão da PM em Joinville.

A investigação apura denúncias de que Marcos Schoene facilitava a liberação de licenças ambientais para a empresa Quasa Ambiental Ltda, registrada em nome das duas filhas dele. Segundo o Ministério Público Estadual, o advogado Rodrigo Schoene seria o representante legal da empresa e seria o responsável por intermediar o suposto esquema.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Cotidiano

Colunistas