nsc

publicidade

Meio ambiente 

Leões-marinhos são avistados no costão da Praia do Matadeiro, em Florianópolis 

Presença dos animais na ilha foi confirmada pela Associação R3 Animal. Um lobo-marinho também foi avistado 

12/07/2019 - 11h55 - Atualizada em: 12/07/2019 - 14h50

Compartilhe

Redação
Por Redação DC
Leões-marinhos são flagrados na água, enquanto o lobo-marinho descansa (ao fundo) no costão
Leões-marinhos são flagrados na água, enquanto o lobo-marinho descansa (ao fundo) no costão
(Foto: )

Um vídeo com 18 leões-marinhos-do-sul nadando pelo costão da Praia do Matadeiro, em Florianópolis, tem circulado nas redes sociais desde o início desta semana. Para confirmar se os bichinhos estavam mesmo pela ilha, a Associação R3 Animal, através do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS), foi até o local e, com a ajuda de uma embarcação, conseguiu flagrar a presença de quatro leões-marinhos na área e mais um lobo-marinho-do-sul, que descansava nas pedras do costão.

Com o auxílio de um aparelho de diagnóstico por temperatura corporal, foi possível fazer uma avaliação do estado de saúde dos animais, mesmo que distante.

Segundo a médica-veterinária, Marzia Antonelli, da R3 Animal, os cinco bichos avaliados estavam ativos, com comportamento normal e escore corporal bom.

Nesta época do ano, segundo a associação, é comum que animais destas espécies sejam avistados na região da Ilha de SC. Eles saem de colônias reprodutivas no Uruguai e Argentina e chegam nas praias catarinenses em busca de alimento e descanso.

Quatro leões-marinhos-do-sul foram avistados nesta quinta-feira na praia do Matadeiro
Quatro leões-marinhos-do-sul foram avistados nesta quinta-feira na praia do Matadeiro
(Foto: )
(Foto: )

O que fazer?

A R3 Animal indica, caso aviste um lobo ou leão-marinho na praia ou nos costões, manter a distância. São animais selvagens e, ao se sentirem acuados, eles podem tentar se defender. Se o animal marinho estiver descansando na areia, evite o contato deles com animais de estimação. Eles podem transmitir doenças aos lobos-marinhos. Caso cachorros tentem atacar o animal, ajude mantendo-os afastados.

Outra dica é não tirar fotos dos animais com o uso de flash. Não forneça alimento ou force o animal a entrar na água. Na maioria das vezes, ele só quer descansar. Qualquer dúvida, ligue para o número 0800 642 3341 e informe se avistou um animal para a associação, que atua na Capital.

Deixe seu comentário:

publicidade